Welcome to Silent Hill

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:31 pm

Para quem quiser compreender um pouco mais sobre o mundo e toda a mitologia que cercam a famosa cidade Silent Hill, este material desenvolvido por Leandro Salmagi Coutinho (Sachiel), é um guia definitivo para os fãs ou quem se interessa pelo assunto. Feche as janelas, desligue a luz e seja bem vindo à Silent Hill.

Obs:
Textos Complementares
Para melhor entendimento deste texto e de seus semelhantes, é aconselhável ao leitor que já tenha jogado os jogos da série Silent Hill, e também tenha acesso o livro Lost Memories, publicado pela Konami e encontrado para leitura nos sites:
www.translatedmemories.com
www.silenthillchronicle.net



De início, na região de Silent Hill, havia um culto primitivo nativo. O deus desse culto, devido às interferências dos colonizadores, teve o nome trocado de "deus do paraíso" para o nome de Samael, um demônio (segundo o documento About syncretic religions, SH3). A mudança fez com que o grupo passasse a considerar o demônio um deus que traria o paraíso. A cidade de Silent Hill então cresceu e o culto se enraizou na cultura local.

Chegando ao tempo do jogo. Dahlia Gillespie, uma espécie de líder do culto, junto a outros seguidores, decidiu fazer o ritual que traria o seu deus, Samael, à vida. O ritual iria necessitar de uma mulher que pudesse gerar o embrião de Samael no corpo, até seu nascimento, sendo alimentado por ódio e sofrimento. Para tal, Alessa, filha de Dahlia,foi eleita voluntariamente (como se observa em SH3).

Alessa era uma menina problemática, e ao que indica o decorrer da história, com certos poderes paranormais (segundo o documento Manifestations Of Delusions, SH1). O culto queimou a menina viva numa casa, de modo a fazê-la sofrer e alimentar o embrião. Isso levou Alessa a (obviamente) necessitar de
cuidados. Foi quando Dahlia conseguiu apoio de Michael Kaufmann, um médico e traficante de drogas.

Por que Kaufmann entrou na jogada? Simples. Segundo documentos encontrados na delegacia, em SH1, havia uma séria investigação sobre o tráfico de drogas. Dahlia simplesmente MATOU todos os investigadores com magia negra (leiam os documentos Police Report e Newspaper Article ambos de SH1). E Kaufmann lhe eu abrigo no porão do hospital.

Alessa, que até então estava no hospital e em sofrimento constante, mudou de idéia quanto ao paraíso que estava sendo prometido e resolveu evitar o nascimento de Samael. Então ela dividiu sua alma e a alma de Samael em duas metades, surgindo Cheryl, de modo que as duas deveriam ser reunidas para um devido nascimento. Cheryl apareceu numa beira de estrada, foi quando um homem, chamado Harry Mason, e sua esposa doente, acharam o bebê e a adotaram.

Como Alessa não era um paciente qualquer, uma única enfermeira foi obrigada a cuidar dela. Ela se chamava Lisa Garland. Kaufmann a viciou com suas drogas para mantê-la sobre controle e para garantir que não abriria a boca para autoridades. Lisa logo começou a apresentar depressão e outros problemas, grande parte devido às anormalidades que ela presenciava, causadas pela presença de Samael em Alessa. (segundo o documento Lisa Garland's Journal, SH1).

Sete longos anos se passaram e Cheryl cresceu, enquanto Dahlia procurava por ela e Alessa era mantida viva pelo demônio e Lisa. A esposa de Harry havia falecido. Harry e Cheryl saíram de viagem por Silent Hill. É aí que começa o jogo.

Alessa percebe a aproximação de Cheryl e tenta impedi-los de chegar à cidade se pondo à frente do carro. Obviamente, não dá certo e Harry perde o controle, derrubando o carro pelo morro.
Observação séria: Existe um trecho no Lost Memories que diz que Cheryl foi atraída para Silent Hill por vontade de Alessa, que queria se reunir de volta e tentar fugir do sofrimento que passava. Ou seja, ela não estaria na rua ali para impedir. Então porque ela estaria na rua? Para recepcionar Cheryl? Ou para causar um acidente e afastar Harry? Hmmmm...

Ele acorda no seu carro e não encontra Cheryl, que fugiu (acredito que foi porque estava sendo induzida pelo meio demônio em si, ou por Alessa). Harry, então, sai à procura dela pela cidade vazia. Ele encontra e segue um vulto de Cheryl até um beco, onde criaturas estranhas o encontram e o fazem desmaiar. Então ele acorda num café, onde encontra com Cybil, uma policial que o encontrou deitado ali. Conversam sobre como a cidade está estranha e Cybil lhe entrega uma
arma (provavelmente Cybil chegou a ver alguma criatura, pois ela não diria que "é perigoso lá fora" se não tivesse visto uma.).

Pouco se sabe sobre Cybil. Ela é uma policial da cidade vizinha que foi atender um chamado em Silent Hill e deu de cara com a cidade deserta. Ela vai embora tentar contactar a polícia, já que os rádios não funcionam. Harry mata um bicho no bar (o normal de sempre) e vai checar o beco novamente. No beco ele encontra uma folha do caderno de Cheryl com a expressão "To School". Logo ele tenta ir para a escola e passa por uns puzzles que não interessam para a história (a não ser por ter de procurar as "chaves para o Eclipse" para abrir uma porta e logo depois ficar noite derrepente.).

Essa primeira criatura morta por Harry chama-se AirScreamer. Segundo o Lost Memories, ele é uma encarnação assustadora dos dinossauros que assustavam Alessa no livro “O mundo perdido”, de Arthur Conan Doyle, aquela mesma história do seriado da TV. A segunda são os cachorros, chamados de “Groaners”, que são a representação do medo de Alessa por cães.

Chegando lá. Ele anda pela escola, vê um quadro de uma porta com três buracos quadrados (eu gostaria de chamar a atenção para essa porta. É a porta do consultório psicológico de SH3. Eu acredito que Alessa deveria ser freqüente lá, tamanha a importância dada à porta). Ele resolve uns puzzles, entra na torre do relógio e acaba por sair no pátio da escola no chamado "mundo alternativo".

Nessa escola é comum o inimigo chamado “Mumbler”. O Lost Memories o descreve uma imagem dos pequenos animais de demônios dos contos de fadas. Ou seja, é a encarnação da idéia de monstro...

O mundo alternativo foi causado pela mente atormentada da Alessa, devido ao seu sofrimento e aos poderes do Samael. Por isso é tão cheio de corpos amarrados iguais a Alessa no hospital, cadeiras de rodas, que é como a Alessa é levada de um lado ao outro, e de ventiladores e sirenes. Por que ventiladores e sirenes? Fique preso anos numa sala com o Zum-zum-zum de um ventilador de circulação e sirenes de hospital e tente não ficar de saco cheio com eles...

Então! No chão do pátio está o símbolo de Metraton, aquela bola com um triangulo no meio, que diz-se que pode quebrar o poder de Samael (Isso mesmo, aquilo não é símbolo do samael! Trata-se do Selo de Metraton, segundo o documento Book: Otherworld Laws, SH3). Ele foi posto lá por Alessa, através de seus poderes. Então Harry anda um pouco mais pela escola. Encontra um livro de contos (que foi lido por Alessa), falando sobre um caçador e um lagarto. Acaba por encontrar um homem morto com uma espingarda, que se trata de uma encarnação do caçador da historinha. Ao lado está escrito o nome “Leonard Rhymes”. Este corpo não é o pai de Cláudia de Silent Hill3.
Além de não fazer sentido que o famoso Leonard estivesse na escola, seu sobrenome é Wolf, e não Rhymes.

Mais adiante, enfrenta uma criatura no porão da escola baseada no lagarto do conto que Alessa leu. Inclusive, Harry a mata com um tiro certeiro na boca aberta, assim como o caçador da história o fez. Ao matá-la, o "mundo alternativo" se desfaz e ele vê Alessa, já com seus 14 anos. Ou melhor, uma auto imagem de Alessa, como ela se imagina agora, visto que o seu verdadeiro corpo está desfigurado. Harry encontra no chão a chave da casa de K.Gordon, um professor que havia se preocupado muito com a saúde psicológica de Alessa (segundo o documento K. Gordon's notebook, SH3).

Ele anda um pouco pela cidade e tal. Então encontra com Dahlia, a líder do culto, numa igreja. Ela tem uma conversa louca com Harry e lhe entrega o Flauros, um artefato capaz de quebrar as barreiras das trevas e lhe manda ir para o hospital antes que seja tarde. Por quê? Porque ela pretendeu usá-lo contra Alessa. O hospital seria o próximo lugar em que Alessa iria para fazer o símbolo de Metraton. Ela quer que Harry chegue antes para surpreendê-la.

Chegando no hospital, Harry encontra com Kaufmann e têm uma conversa que não tem importância nenhuma, apenas introduz o personagem novo. Andando mais pelo hospital, encontra um vidro quebrado no chão. O vidro continha a substância Aglaophotis, capaz de exorcizar espíritos e demônios (segundo o documento Aglaophotis, SH3). Acaba pegando um pouco por curiosidade. Resolvendo alguns puzzles, ele entra no mundo alternativo e chega ao estranho porão do hospital, onde Alessa estava sendo mantida viva. (Como ele chegou lá pelo mundo alternativo, não encontrou com ela).


O inimigo mais comum no hospital é a enfermeira parasitada. O Lost Memories descreve tanto ela quando os doutores parasitados como pessoas que foram pegas por criaturas iguais a que Cybil encontra mais para frente. Ou seja, diferentemente das outras criaturas, esses inimigos não são de origem puramente mágica. Outra criatura comum é as baratas, chamadas de “Creepers”, que são manifestações do medo de Alessa por insetos.

Então Harry volta e se encontra com Lisa, que se mostra muito assustada e perturbada. Harry menciona as coisas estranhas no porão, Lisa diz que desconhece o porão e quando ele ia explicar o que tinha lá, ele começa a ter dor de cabeça e passa de volta ao mundo real. Então ele se encontra novamente com Dahlia. Ela manda que ele vá para "a outra igreja", e diz que o símbolo de Metraton é a marca de Samael. Ela mentiu! Foi para enganar Harry e fazê-lo lutar contra Alessa.

Atravessando a cidade, ele chega na outra igreja. Um lugar onde o culto fazia seus rituais e tal, dentro de uma sala escondida num buraco na parede. Cybil encontra com ele, conversam sobre o mundo alternativo, o tráfico de drogas e outras coisas, Cybil fala que viu Cheryl andando sobre o ar e tal, perto do lago, mas que as estradas estão destruídas, e Harry entra no buraco e desaparece. Ele vai parar no mundo alternativo, dentro do hospital e na frente de Lisa. Ela fala sobre o culto na cidade, sua popularidade e da relação entre o culto e Dahlia. Então Harry tem outra dor de cabeça e vai parar na igrejinha novamente.

Continua no próximo post...

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:32 pm

...continuação do post Silent Hill.

Então ele corre pela cidade, tentando voltar à Lisa e terminar a conversa. No caminho, entra num shopping. Daí aparece um vídeo de Cheryl pedindo socorro nuns telões. Harry se assusta, continua, mata uma lagarta gigante e vai para o hospital novamente. Tudo no mundo alternativo. Lá ele encontra novamente com Lisa. Ele pergunta para ela
como chegar no lago, ela fala que deve ser possível ir para lá pelo esgoto, próximo à escola (uma observação, ela fala "my old elementary school", ou seja, ela também estudou lá, mas com certeza foi antes de Alessa). Harry enfrenta uma borboleta (a lagarta de antes) e vai para lá, passando pelo esgoto. Nesse trecho todo não acontece nada de importante.

As criaturas de Harry enfrenta no esgoto são chamadas de “Hanged Scratchers”, e são novamente manifestações do medo de Alessa por insetos. Mas depois, quando ele sai do esgoto, ele entra num tipo de bar e salva Kaufmann de uma criatura que o estava atacando. Kaufmann deixa cair a chave do seu depósito de drogas (que é onde se encontra o documento Diary, escrito por um funcionário), encontra-se, junto, a chave do apartamento de Kaufmann. Eles conversam um pouco, Kaufmann se mostra assustado com esse mundo estranho. Então é possível (possível, pois não é obrigatório para se prosseguir no jogo) entrar no apartamento de Kaufmann, abrir a sua moto e encontrar um vidro de Aglaophotis.

Dahlia pensou ter destruído o último vidro de Aglaophotis quebrando-o no chão do hospital, mas Kaufmann simplesmente guardou um pouco para caso houvesse uma traição por parte de Dahlia.

Durante esse trecho nas proximidades do lago, uma criatura comum é o “Romper”, que representa o medo de Alessa por adultos. Mas, no apartamento de Kaufmann, Harry acha o vidro escondido de Aglaophotis, porém Kaufmann entra, encontra Harry com o vidro, reclama pela ousadia do Harry, pega a Aglaophotis e vai embora. Então Harry continua sua viagem. Indo na direção do porto do lago, ele testemunha a transformação da realidade no mundo alternativo. Desta vez foi
diferente. Antes, o mundo alternativo aparecia do nada, mas agora foi gradual. Harry percebeu que a situação estava ficando mais séria. Chegando no porto, reencontra-se com Cybil e Dahlia. Dahlia fala que o demônio está tomando a cidade e tal. Manda Harry ir para o farol e para o centro do parque de diversões, pois são os últimos dois lugares que faltam para por a marca de Samael (como eu já disse, não tem demônio nenhum pondo "marca de Samael", na verdade e a Alessa pondo o selo de Metraton para parar o demônio.). Cybil decide ir para o parque, mesmo sem o Flauros. E Harry vai para o farol. Chegando lá ele vê Alessa indo
embora e a marca de Metraton feita. Então ele percebe que chegou tarde demais e vai para o parque, tentando encontrar Cybil a tempo. Cybil acaba sendo pega por uma criatura semelhante a aquela que possuía as enfermeiras e médicos no hospital. Harry encontra com ela no carrossel. Lhe derrama o pouco de Aglaophotis que tinha e expulsa a criatura. Então Harry fala sobre a adoção de Cheryl com Cybil.

No parque, Alessa aparece para fazer o último selo de Metraton necessário. Harry a manda soltar Cheryl e usa o Flauros. Ele quebra os poderes de Alessa e Dahlia aparece rindo. Afinal, seu plano havia dado certo, ela enganou Harry e o fez impedir Alessa. Então aparece um brilho e Harry é levado ao famoso Nowhere (isso não significa "Agora aqui", significa "lugar nenhum", para os desavisados). É um lugar composto por várias e várias salas e corredores do jogo. Sem respeito algum pela física, o Nowhere encaixa salas de corredores incompatíveis. Suponho que seja um profundo mundo alternativo, moldado pelas lembranças de Alessa de vários lugares. Existem alguns que acreditam ser um último esforço de Alessa para levar Harry até Dahlia e salvá-la. Mas o fato é que tanto uma quanto outra visão é especulação. O jogo não dá informação alguma sobre a natureza do Nowhere.

Logo ao ser teleportado para o Nowhere. Harry encontra com Lisa, ela fala que foi olhar o porão do hospital, mesmo assustada demais, e teve a impressão de que já havia estado lá. (Lógico, ela cuidava de Alessa lá, mas meio que tinha bloqueado as lembranças). Então ela corre e vai embora.
Mal se anda pelo Nowhere, já aparece um fantasma de Alessa atravessando uma porta. (creio que foi uma tentativa de guiar Harry). Resolve-se alguns puzzles, e se encontra novamente com Lisa. Então ela começa a chorar e fala que entendeu porque que todos haviam morrido e ela estava viva, era porque era uma deles. Então ela começa a sangrar e Harry foge dela.

Creio que esse "eles" se refira aos monstros enfermeiros e médicos. Há alguns fãs de Silent Hill que acreditam que ela esteja morta, e essa Lisa é apenas uma lembrança de Alessa. Isso explicaria por que ela sempre está no mundo alternativo, mas cria outras perguntas: como, quando e porque ela morreria? Eu duvido que esteja morta, pois tal fato não seria omitido do Lost Memories. Eu prefiro acreditar que ela havia se tornado uma enfermeira monstro, por isso não podia sair do mundo alternativo e avança sangrando para cima de Harry.
Ainda no Nowhere, podemos assistir um vídeo de Lisa comentando com alguém o estado estranho de Alessa ("olhos não abrem. Tem pulso, mas mal respira. O que está mantendo essa criança viva?"). Creio que seja um vídeo de Lisa pedindo para parar de cuidar de Alessa para Kaufmann, por causa do final: "Eu não agüento mais, eu não vou contar para ninguém, então, por favor....".
Mais adiante Harry vê fantasmas de Alessa e os envolvidos com o ritual numa sala. É uma espécie de flashback de quando eles perceberam que Alessa tinha criado Cheryl, e que tinha inviabilizado seus planos. Nesse flashback, Kaufmann também aparece e reclama dos empecilhos e que isso não estava no acordo. Não
acho que seja porque Kaufmann tenha algum interesse sério no demônio. Acho que seja pelo fato da menina precisar ficar no hospital por mais tempo que o planejado. Depois, Harry entra no quarto de Alessa, atravessa a porta e vê outro flashback de Dahlia puxando Cheryl para junto de Alessa (mas só se vê Dahlia e
Cheryl). É quando Dahlia percebe que ela mesma poderia ter dado a luz a Samael, que nenhum poder especial era necessário para gestar o demônio, bastava o poder de dar a vida, que existia em todas as mulheres. Terminando o flashback Harry desce uma escada e encontra com Dahlia, o corpo queimado de Alessa e um fantasma de Alessa no chão. Dahlia comenta seu espanto com Alessa ter usado o selo/talismã/marca/símbolo (é mesmo, tanto faz) de Metraton e agradece por Harry tê-la impedido a tempo. Cybil aparece e é derrubada por um raio ou coisa assim, causado por Dahlia ou por Samael, provavelmente Samael. Harry aparece, Dahlia fala que Cheryl foi restaurada à sua forma original, que chegou o dia e que Alessa se tornará a mãe de deus. Então o corpo de Alessa e o fantasma se unem e formam uma mulher brilhante, a tal de mãe de Deus.

Derrepente Kaufmann aparece dá um tiro em Dahlia. Ele reclama de tudo ter se tornado um pesadelo e de que isso não foi o planejado, e joga o vidro de Aglaophotis na mãe de Deus, que é Alessa. Dela sai o Samael, que queima Dahlia e é morto por Harry, pois como foi "abortado" por Kaufmann, nasceu muito mais fraco do que era para nascer. Começa a chover fogo, pois o "mundo alternativo" estava se desfazendo. Alessa entrega uma nova criança para Harry (Heather), mas que infelizmente carrega a semente de Samael. Ela abre um portal para ele e Cybil fugirem e fim! Kaufmann tenta fugir também, mas Lisa o impede.
Provavelmente numa tentativa de vingança. FIM!

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:35 pm



Em Silent Hill 2, o jogador controla James Sunderland, um "clerk" (que em inglês significa algo como balconista ou atendente), que vai para Silent Hill, pois recebeu uma carta de sua falecida esposa, Mary, dizendo que estava lá esperando por ele no "nosso lugar especial".

Durantea busca por sua esposa, James encontra Angela, Eddie, a menina Laura e Maria, uma mulher que se parece muito com a sua ex-esposa. Na cidade vazia e repleta de criaturas grotescas, ele passa por lugares sombrios como um hospital e uma prisão, além de apartamentos, ruas e outros.

O jogo começa com James em um banheiro público, olhando-se no espelho e refletindo sobre a carta que o trouxe a Silent Hill. (Nota-se que está que ele está na entrada da cidade). Ele questiona a veracidade da carta, mas logo já se pergunta onde seria esse "lugar especial". Poderia ser o parque no lago (Rosewater Park), já que eles chegaram a passar um dia todo lá, olhando a água. Então ele pega o mapa da cidade no carro e parte a pé (Nota-se que o túnel adiante está anormalmente bloqueado por grades).

Então ele segue numa trilha paralela à estrada, passando por um cemitério e encontrando Angela Orosco. Neste momento eles ainda não se apresentam e Angela se mostra perturbada. Ele pergunta para ela se o caminho para Silent Hill está certo, ela confirma, mas tenta avisá-lo de que há algo errado com a cidade, mas ele fala que na verdade não interessa se é perigoso ou não. Então ela comenta que está procurando por sua mãe, pensou que seu pai e irmão estivessem lá, mas não conseguia encontrá-los, enquanto James só comenta que busca alguém importante.

James segue pela cidade vazia, encontra marcas de sangue no chão, encontra o primeiro monstro e o mata.

Esse primeiro monstro trata-se do "Lying Figure" (ou figura caída). Esse monstro representa um paciente se contorcendo em agonia. É uma manifestação do sofrimento de James. Os rascunhos de projeto dessa criatura incorporavam botas vermelhas femininas, para representar fortemente uma mulher.
Ao matar o monstro ele pega o rádio, que logo reproduz a voz de Mary chamando por James. Deste ponto ele segue a um beco, acha a chave do Woodside apartment, depois o mesmo e usa a chave para entrar.
Porque ele entrou no apartamento? Nota-se que qualquer outra rota que leva ao Rosewater Park está obstruída por abismos, como em Silent Hill 1. Sobrou para ele a alternativa de atravessar o prédio. Ele não tem nenhum compromisso com o prédio, a não ser como uma passagem.

Porém, dentro do prédio ocorrem vários acontecimentos importantes. Ele acha uma lanterna, e logo em seguida enfrenta a segunda criatura. Trata-se da "Manequim" uma criatura feita de quatro pernas. Segundo o livro "Lost Memories", ela representa os desejos e impulsos de James por Mary. Por isso é só feita de partes baixas (quanta indecência, tsc,tsc....)

Nesse apartamento também aparece a garotinha Laura. Ela pisa na mão de James quando ele tenta alcançar uma chave do outro lado de uma grade. Mas porque ela fez isso? Ela não conhece e não gosta de James. Isso fica evidente ao longo do jogo. Ela conheceu Mary enquanto estavam internadas, e conheceu James pelas conversas e fotos que Mary mostrara a ela. Ficou, assim, com uma extrema impressão de James ser um homem frio e estúpido.

Logo em seguida, James vê uma outra criatura do outro lado de uma grade.. Trata-se de Pyramid Head. Ao contrário do que dizem por aí, ele NÃO é um auto-reflexo de James. Mas isso eu explico mais adiante. Continuando. James entra em um quarto e encontra um homem morto em frente a uma televisão. Nota-se que o cabelo é igual ao de James e as roupas são extremamente semelhantes. Minha opinião? Economia de texturas no jogo. Se fosse importante, o jogo teria dado mais ênfase ao acontecimento.

Nota: Com patchs que permitem o controle da câmera na versão de PC, pode-se ver que esse homem é igual a James. Seria isso uma referência à cenas futuras do jogo? Talvez. Mas acho que a termos de história mesmo, é irrelevante. Pois como disse, se fosse relevante, James teria comentado algo como “Nossa, como se parece comigo!”, ou a própria câmera teria dado mais valor.

James prossegue e encontra novamente com Pyramid Head. Ele está na cozinha de um apartamento atacando duas das criaturas de quatro pernas. Ele faz isso por um motivo que descreverei mais adiante. Então James atira nele, o bicho foge e James continua a busca pela saída do lugar.

Ele encontra Eddie Dombrowski, um frentista (isso é informação de "Lost Memories") vomitando em um banheiro de um dos apartamentos. Ele rapidamente já insiste: "Não fui eu que fiz isso! Já estava assim quando eu cheguei!". Na conversa com James fica claro que ele falava de um homem morto na cozinha. Porém, de fato foi ele que o matou. Eu explico mais adiante.
James também encontra Angela novamente. Ela está deitada em frente a um espelho com uma faca de cozinha na mão. James rapidamente insiste para que ela reconsidere o suicídio. Então ela diz: "Mesmo? Mas você é igual a mim. É mais fácil fugir. Além do mais, é o que merecemos.". Já digo desde já, ela entendeu o que estava acontecendo com eles antes de James. Então a conversa segue, mostrando o quanto Angela estava perturbada. Nota-se que eles resolvem deixar a
faca dela com James, mas quando ele vai pegá-la ela se assusta e larga a faca na mesa. Isso eu também vou explicar depois, pois existe um momento mais apropriado no jogo para a explicação.

Então James resolve uns enigmas, enfrenta Pyramid Head, que novamente estava atacando uma criatura, e sai do prédio.
Logo ao sair, ele encontra a garotinha Laura. Essa conversa é muito interessante por dois trechos. Um que James pergunta "o que uma garotinha como você está fazendo aqui?" e ela responde "Ah? Você é cego ou o que?". Para ela, a cidade está normal. Não há monstros. Mas eu pessoalmente duvido que para ela a cidade esteja com o movimento normal de pessoas. Eu explico porque depois. E um outro trecho onde ela diz "Você não amava Mary mesmo!", mostrando a impressão que ela tinha de James.
Ele prossegue e chega ao Rosewater Park, onde ele encontra Maria. Uma mulher fisicamente igual a Mary. Porém um tanto mais atrevida, tanto nas vestimentas quanto na personalidade.

Acho que isso já posso explicar. De onde veio Maria? Ela é uma mistura da mente de James de Mary com uma stripper que ele deve ter visto na boate Heavens Night alguma vez. Em Silent Hill 3, é possível se ver um pôster com a verdadeira Maria, que se trata de uma mulher morena de cabelos longos. Então Maria mistura comportamentos de Mary com a stripper, mesclando uma ousadia com coisas de James já esperava de Mary. Ela é algo criado pela cidade com base na mente perturbada de James. Nota-se que ele a encontra bem no lugar que esperava encontrar Mary.

Então eles têm uma conversa interessante. Nela, percebe-se uma enorme tendência de Maria de se afirmar como “existente de verdade”, e várias indiretas sobre a relação de James com Mary. Mas a conclusão final é que o lago não era o único lugar especial, o hotel poderia ser também. Então decidem, juntos, irem procurar por Mary no hotel.

Creio que todos os detonados do jogo digam "agora vá para o boliche". Mas não é isso o que a história exige! Pela lógica, o melhor a fazer é pegar a avenida e ir direto para o Hotel. Mas ela está bloqueada por um desabamento, e próximo dele está um corpo com um mapa indicando que se deve ir ao Boliche (Pete's Bowl O'Rama).

Masentão. No boliche encontramos Eddie e Laura numa conversa que denuncia o nome de Laura, e também o fato de que Eddie estava fugindo da polícia, embora ele negue o fato. Essa conversa também mostra que Laura está procurando Mary.
Maria não quer entrar no boliche, disse que iria esperar do lado de fora. Por quê? Talvez saiba que Eddie e Angela estavam lá dentro, e nenhum dos dois poderiam vê-la. Assim, ela evita complicações.
Mas Laura foge de James. Então ele e Maria vão atrás da menina. Curiosidade: Maria diz ter corrido atrás de Laura. Será que ela correu de verdade? Pois se Laura tivesse visto Maria, ela também iria confundi-la com Mary e não iria fugir. Então reafirmo. Maria é só imaginação de James, ou algo criado pela cidade só para
James.
Então eles atravessam a boate Heavens Night, com as chaves que Maria tinha (Óbvio! Ela supostamente trabalhou lá!) E seguem Laura até o Hospital Psiquiátrico de BrookHaven.

No hospital, Maria também se mostra doente (assim como Mary) e deita para descansar, enquanto James prossegue na busca por Laura. A um dos enigmas a resolver que eu achei interessante. Os registros encontrados mostram o caso de um paciente chamado Joseph Barkin (que não tem nada a ver com SH4), que acreditava ser culpado da morte da filha, que também era dono de uma caixa com fios de cabelo dentro e escreveu na parede "Louise. Eu vou cuidar de você para sempre. É meu destino!".
Creio que os cabelos eram de sua filha Louise, e ele acorrentou a caixa para protegê-los. Outra coisa é o diário de um paciente encontrado no telhado. Parece que o paciente foi atacado por algo no dia em que recebeu alta médica e justo no momento que estava escrevendo no diário. E ainda por cima, no telhado.

Segundo o "Lost Memories", as enfermeiras no hospital são criaturas que representam a hospitalização de Mary e a violência com que ela era tratada no hospital.
Então James resolve uns enigmas e encontra Laura brincando dentro do hospital com uns ursinhos de pelúcia. Como ela chegou lá? Não há ninguém na cidade para impedi-la? Não. É por isso que eu acho que não tem ninguém na cidade mesmo! Para ela a cidade está normal. Só não tem ninguém.

Neste momento, ela diz que conheceu Mary ano passado. Mas como ela conheceu Mary ano passado se Mary já estava morta?!?!?
Este é um bom momento para explicar a história. Se você prestou um mínimo de atenção no jogo, você já deve saber que James matou Mary, certo? Isso aconteceu a quanto tempo? Três anos? Você tem certeza? Isso aconteceu a uma ou duas semanas!!! Ele a matou e ficou com tanto remorso que enfiou na cabeça que ela tinha morrido da doença a três anos. Legal, né? Triste, mas legal...
Mas ele não acredita em Laura e a chama de mentirosa. Então ela fica nervosa, mas eles fazem as pazes e seguem embora do hospital.
Neste instante ocorre outro diálogo interessante. James comenta "Tem todo tipo de coisa estranha aqui. Não acredito que você não tem nem um arranhão." E ela responde: "Por que eu deveria?". Novamente pode-se notar que está tudo razoavelmente normal para ela. Ela nem sequer precisa de uma lanterna para ver!!!

Então eles continuam pelo corredor, mas ela fica querendo se vingar de James por tê-la ofendido e inventa que existe uma carta de Mary na “examining room” do hospital. Nota-se que ela tinha a chave da sala. Como? Não sei. Ela pode ter achado. Ter roubado da enfermeira Rachel, que cuidou dela, não tem como. Não foi nesse hospital que Rachel trabalhou...
Mas era mentira, e ela tranca James dentro da sala. Então ela fica provocando-o do lado de fora. James fica apavorado com os monstros lá dentro e xinga Laura novamente. Ela foge ofendida e ele é obrigado a matar as criaturas.

Tratavam-se de "Flesh Lips", monstros que simbolizavam Mary presa a uma cama. Segundo o "Lost Memories".
Ao matar os monstros, vemos uma animação que se assemelha a um Flash Back de Mary, sussurando "James", sendo carregada numa maca pelo corredor do hospital. Então James acorda no hospital Alternativo.
Seguindo um pouco, James chega na sala onde havia deixado Maria. Porém ela não está mais lá, e tudo que resta é um punhado de vidros de remédio vazios. Então ele pensa "Maria está doente também?". Óbvio! Ela é uma representação de Mary, e James associa a ela qualquer característica possível de Mary.

Então ele anda pelo hospital até encontrar com Maria novamente no porão. Ele a confunde com Mary, ela se sente desprezada e implora pela atenção dele. Ela faz isso em vários momentos do jogo, inclusive na primeira vez que se encontram. "Você vai me deixar sozinha com esse monte de monstros por aí?".
Curiosamente, Maria menciona certa responsabilidade que sente por Laura. Porque isso derrepente? Creio que James acabou de notar que Mary gostava de Laura, e acabou aplicando rapidamente isso à figura de Maria também.

Então eles andam, juntam os anéis do puzzle da mulher na porta. Entram na porta e vão parar num longo corredor...

Continua no próximo post...



Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:48 pm, editado 3 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:36 pm

...continuação do post de Silent Hill 2

Neste corredor, após uma longa perseguição, Maria fica para trás e é supostamente morta por Pyramid Head, enquanto James tenta abrir a porta do elevador no fim do corredor para ela entrar junto com ele. Mas dai ele acaba subindo sozinho para o primeiro andar do prédio. “A porta do elevador só se abre para James”. Frase muito interessante que vi na net uma vez, não lembro onde.

Ele vê Laura indo embora sozinha do lado de fora do hospital (no escuro e sem lanterna, to falando que pra ela tá normal). Então ele pega a chave da porta da frente do hospital e acha um recado, provavelmente para ele: \"aquele que não é corajoso o suficiente para olhar através do abismo, não é corajoso o suficiente
para olhar para si mesmo. Siga o mapa, tem uma carta uma chave inglesa.\". Trata-se de um texto escrito por alguém, creio que seja o diretor do hospital. Como conhecia James eu não sei.

Na busca pelo texto. O jogador passa por um corredor cujo chão é composto de grades, e debaixo delas existem criaturas chamadas de Mandarin. Segundo o Lost Memories, são representações e angústia enorme, e por isso não são permitidos ficar acima do chão.

Mas então ele segue o mapa e acha a tal carta. Escrita pelo próprio diretor do hospital dizendo a ele que \"parte do abismo está na sociedade histórica\", provavelmente o abismo no qual James deve procurar a verdade. Fala onde encontrar a chave da sociedade histórica. Comenta também que ele sabia que o paciente dele havia pego a chave e escondido (é, tem um texto do paciente falando que pegou a chave), e que também não fez nada para impedir pois \"não estava procurando a verdade, mas tranqüilidade\". Ele estava perturbado por ter tal coisa (a chave) por perto e disse que também viu \"aquela coisa\" no prédio da sociedade e fugiu. Creio que ele falava do buraco na parede, que leva para a prisão de guerra. \"Se você ainda pretende continuar, James, eu peço ao Senhor
que tenha piedade de sua alma eterna.\". E isso está no fim da carta.

James então pega a chave inglesa, vai no lugar onde o paciente escondeu a caixa com a chave (no Rosewater Park) e a desenterra. Abre a caixa com a chave inglesa. E parte em direção à sociedade histórica.

Chegando na sociedade histórica ele encontra o quatro \"MISTY DAY, REMAINS OF THE JUDGEMENT\"...

Trata-se de um quadro de quem? Pyramid HEAD!!! Mas o que um quadro de Pyramid Head faz na sociedade histórica?!?!?!

Pyramid Head foi um executor nas prisões durante a guerra civil na região. James viu o quadro ou a história dele em alguma vez que foi a cidade e, devido a enorme culpa que sentiu por matar Mary, começou a imaginar que esse \"executor\" estava perseguindo-o para puní-lo! Por isso ele mata tantas vezes Maria ou ataca as criaturas da cidade, para jogar na cara de James o que ele fez com Mary!!! Isso está muito bem descrito no Lost Memories.

Uma curiosidade. Por que ele se parece tanto com Valtiel, de Silent Hill 3? Logicamente, o personagem Valtiel foi criado no SH3. Porém, ele foi criado com o intuito de unir os três primeiros jogos da série. Então o criativo pessoal da Konami inventou o seguinte: Valtiel era um suposto \"Anjo\" de Samael, adorado pelo culto nativo de Silent Hill. Para o culto, ele tinha o papel de executor e de servente direto do deus do culto. Assim, na hora de confeccionar uma roupa para o executor da prisão, a população pensou: \"Ei! Vamos dar a ele uma roupa parecida com o anjo Valtiel!\" Aí, surgiu Pyramid Head com a cara de Valtiel! E o tradicional capuz de pano foi trocado por um de ferro.
Mas James não percebe, mesmo assim, que é invenção da sua cabeça e continua a seguir viajem.

No prédio, ele encontra uma foto do Brookhaven dizendo que \"o hospital foi construído em resposta a uma praga que atingiu a cidade\". Que tipo de praga atingiu a cidade de modo que construíssem um hospital psiquiátrico? Loucura?

Segundo o livro publicado, a praga foi conseqüência do sofrimento dos prisioneiros e das mortes sem razão da população local. Isso distorceu os poderes ocultos desse terreno considerado sagrado.

Mas então. Ele entra num estranho túnel na sociedade histórica e vai parar na prisão de guerra de Silent Hill. Segundo os documentos encontrados no jogo e o tal \"Lost Memories\", a prisão foi construída para abrigar os prisioneiros de guerra durante a guerra civil. Com o fim da guerra, a prisão é fechada e a cidade se torna um atrativo turístico. Então é construída a Sociedade Histórica em cima da velha prisão.

Depois de sucessivos e repetitivos saltos em buracos no chão. James acaba por ir parar no refeitório da Prisão, onde ele encontra Eddie junto a outro corpo morto a tiros. Desta vez, Eddie abre a boca e confessa que atirou no corpo (quando ele ainda tava vivo, óbvio), mas que a culpa foi do corpo, que estava caçoando dele com os olhos, assim com aquele estúpido cachorro (???). Mas depois que James fala que não se deve matar uma pessoa pelo jeito que elas olham para você, então Eddie tenta, de modo absolutamente não convincente, negar o que já tinha dito. Depois ele sai da sala e vai embora, com a pistola usada no crime.

James continua seguindo através da prisão. Resolvendo alguns puzzles sem muita importância.

Nessa prisão tem um inimigo muito legal (!!!), trata-se de uma criatura barulhenta e invisível que fica em uma das celas, mas que pode ser morta a tiros. O \"Lost Memories\" menciona sua existência, mas não fala de seu objetivo no jogo, como no restante das criaturas. Mas dá muuuuito medo.

Então James pula em mais buracos, passando pelo necrotério do prédio e procede com a busca. Até que vai parar no labirinto.

Nesse labirinto acontecem três coisas importantes. A primeira, é James passar pelo \"escritório do Pyramid Head\". A salinha onde Pyramid Head \"enjaulava\" suas vítimas. Lá James pega a espada de Pyramid Head. Isso não é obrigatório de se fazer no jogo.

A segunda é uma conversa com Maria. James encontra Maria numa cela. Estranhamente, Maria parece agir como se fosse Mary, fazendo brincadeiras com James e falando com uma intimidade anormal. Ele fala algo como: \"Maria! Você está viva! Está ferida? Aquela coisa te apunhalou! Tinha sangue para todo lado!\" mas ela responde com calma, como se nada tivesse acontecido. Então ela começa: \"James, você foi sempre tão esquecido! Lembra aquele dia no hotel? Você disse que tinha pego tudo, mas você esqueceu o Videotape que fizemos. Me pergunto se ainda está lá.\". \"Como você sabe disso? Você não é Maria?\", ele pergunta. \"Eu não sou sua Mary.\". \"Então você é Maria.\" \"Eu sou, se você quiser que eu seja.\". Neste trecho fica explícito que ela sabe que o que é, e parece ter interesses nisso.

Então ele grita: \"Tudo que eu quero de você é uma resposta\". Então ela fala que não importa quem ela é. O que importa é que ela está lá para ele. Que ela é real. Então ela se insinua para ele e o convence a ir atrás dela do outro lado da cela, já que \"ela não pode fazer muito através da grade\".

Sério, eu nunca esperei tanta baixaria de Silent Hill. Mas fazer o que, EU AMO ESSA SÉRIE!!!

Logo, ele busca um caminho de ir atrás dela pelo labirinto. Porém, em um dos trechos acontece a terceira coisa importante. Ele encontra um jornal dizendo sobre a história de um homem, Thomas Orosco, pai de Angela Orosco, que foi encontrado morto a facadas em sua casa. Logo em seguida ele encontra Angela e uma criatura, como se fosse uma pessoa em uma cama, chamada de \"Abstract Daddy\" (que representa o pai de Angela), \"atacando\" Angela.

James mata a criatura. Então segue-se uma conversa que revela a relação \"indevida\" que seu pai teve com Angela e o desgosto que criou dos os homens devido a isso. Isso fica explicito nas frase delas como \"Eu sei o que você quer! Você está atrás de somente uma coisa!\" e \"Você poderia simplesmente me forçar, como ele (pai) sempre fez.\"

Na conversa com ela, ela diz que sabe sobre James, que ele não queria Mary mais por perto e provavelmente arranjou outra, e logo Angela sai da sala, deixando James impressionado com o que ouviu.

Mas ele segue \"viajem\" e encontra a cela de Maria, mas ela está nitidamente morta. Mas não se sabe ao certo o que aconteceu com ela. É como se tivesse sido espancada e colocada deitada na cama. Foi esse mais um momento de James ser torturado pelo seu pecado de ter matado Mary.

Então ele continua, resolve o puzzle dos enforcados e chega em um cemitério subterrâneo, com outro buraco (uma cova com seu nome) para ele pular dentro.

Quero chamar a atenção para uma característica desse cemitério. Existem quatro covas, lado a lado, com os nomes de James, Angela, Eddie e Walter Sullivan. Existe obviamente uma discrepância do Walter Sullivan de SH2 com o de SH4. O de SH2 foi uma \"vítima\" da cidade assim como James, Angela e Eddie.

Continua no próximo post...


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:57 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:36 pm

... continuação do post de Silent Hill 2

Bem, já que eu já comecei, eu vou terminar a história. A cidade aparentemente atraiu essas pessoas para que elas morressem por seus crimes e loucuras. Por isso há túmulos abertos. Angela matou seu pai por vingança, e agora foi procurar sua mãe na cidade. Eddie fugiu da polícia após matar um cão e atirar em seu dono. Foi parar na cidade e lá matou outras pessoas por olharem com desprezo para ele, ele teve essa mania de perseguição. James matou Mary por estar cansado de cuidar dela doente. Walter Sullivan teria morrido por matar cruelmente Billy e Mirian Locane e morreu se suicidando louco na prisão. Laura é inocente. Para ela a cidade está quase normal. Ela só procura por uma amiga, Mary.

Mas James pula no seu túmulo, encontra Eddie junto de outros mortos por ele. Então Eddie desembucha sua história e percebe em James o mesmo olhar de desprezo que ele via nas outras pessoas e tenta matar James.

James sai vitorioso do tiroteio. Mas fica lamentando ter matado um ser humano (como se fosse a primeira vez) mas ele prossegue em direção ao Lakeside hotel. Ele pega uma balsa e atravessa o lago.

Andando um pouco pelo hotel ele encontra Laura. Ele tem uma conversa calma com Laura, e ela lhe dá uma carta que recebeu de Mary. Quer dizer, deveria
ter recebido, pois na verdade ela roubou de Rachel, a enfermeira que cuidava delas. A carta dizia para Laura gostar de James, apesar de seu caráter meio chato, dizia que neste momento, Mary estaria em um lugar bonito (pelo teor da carta, percebe-se que Mary falava do céu. Dizia que já estava morta. Mas não queria assustar a menina.). E também falava "Feliz oitavo aniversário!" para Laura. James então pergunta: "Laura, quantos anos você tem?". "Eu fiz oito semana passada". Então James fica atônito. "Como semana passada? Mary está realmente morta? Ela está realmente aqui?"

Então Laura percebe a falta de uma outra carta. Provavelmente essa outra deveria ser entregue por Rachel para James depois que Mary morresse. Laura a roubou junto com a sua e perdeu-a em algum lugar. Laura sai desesperada atrás da outra carta.

James continua andando pelo local, resolvendo puzzles. Até que ele chega no quarto 312, onde ele e Mary ficaram em um dos dias que foram a Silent Hill. Lá ele põe para rodar a fita de vídeo que ele achou (a fita que filmaram na viagem).

Ela mostra uma imagem de Mary falando. Nada muito importante. Mas logo passa para uma cena onde Mary está doente e James se aproxima e a sufoca com um travesseiro.

Neste momento, James percebe a ilusão que estava vivendo. Que ele realmente matou Mary uma semana atrás e estava imaginando que ela tinha morrido doente.

Uma observação. A carta que ele recebeu de Mary vai desaparecendo conforme você anda pelo Hotel. Primeiro somem as letras da carta. Depois o papel e depois o envelope. A carta também foi uma ilusão. Pouco a pouco, James vai percebendo a loucura que viveu.

Logo, Laura entra no quarto perguntando por Mary. James fala que ela não morreu de doente, foi ele que a matou. Que a Mary que ela conhece não está lá. Essa é uma cena muito bonita. Laura vai embora triste. Neste momento, James percebe que Mary está de fato morta, e a coisa que o trouxe até ali não era Mary.

James logo começa a ouvir o chiado no rádio chamar por ele. Então ele continua a andar pelo prédio. Num momento surreal, com uma escadaria "mágica" pegando fogo, ele encontra com Angela novamente. Eles têm uma conversa na qual ela o confunde com sua mãe. Angela questiona o esforço de James em ajudar outras pessoas. "Ou você acha que pode me salvar? Você vai me amar? Cuidar de mim? Curar toda minha dor? Foi o que eu pensei.". James não fez isso por Mary. Angela sabia que também não o faria por ela. Ela pede a faca de volta. James não devolve e nega que ele a iria usar para se matar. Angela some em meio às chamas, deixando James para trás. James fala "está quente como o inferno aqui." E ela responde que para ela é sempre assim.

Isso me fez pensar que Angela tinha incendiado a casa de seu pai. Então ficou com a imagem das chamas como sua loucura. Mas o Lost Memories não menciona nada assim. Nem a notícia falando da morte do pai menciona um incêndio.

Porém, um site oficial de Silent Hill que ficou aberto por pouco tempo declarava que o Hotel havia sido incendiado a anos, o que é bastante coerente com um esenho encontrado na prisão, que mostra o Hotel pegando fogo. Porque misturaram o passado de Angela com o incêndio no Hotel? Não fez sentido para mim...

James continua até que encontra dois Pyramid Heads, atacando Maria, uma última vez, presa de ponta cabeça numa jaula. James cai ao chão ao ver a cena. Então ele percebe o porquê da existência de Maria e Pyramid Head. Então ele diz: "Eu era fraco. É por isso que eu precisei de vocês. Precisava de alguém para me punir pelos meus pecados. Mas tudo acabou agora. Eu sei a verdade. É hora de terminar isso." Ou seja. James precisava de uma punição. Dessa idéia surgiram Pyramid Head e Maria, com o intuito de puni-lo, jogando contra ele todos os crimes que ele cometeu contra Mary.
James enfrenta os Pyramid Heads, terminando com o próprio suicídio deles.

Então James vai em direção à batalha final do jogo. Agora depende do final.


-------------IN WATER
James encontra com Maria no telhado do prédio e, apesar das insistências dela, para que ele fique com ela, que ela é melhor do que Mary, ele a rejeita. Então eles brigam e ele a mata. Ou melhor, destrói, já que ela era uma "criatura ilusória" de Silent Hill. Então de algum modo, James retorna ao quarto onde Mary estava
hospitalizada e conversam sobre o sofrimento de ambos diante da doença de Mary e os motivos que levaram James a matá-la. Mas ela morre diante de James novamente, pela doença desta vez. Então ele a pega nos braços, a põe no carro (Como? Ele ainda tinha que estar meio louco.) E se joga na água do lago.
Neste final temos a história de um homem que, assim como Eddie e Angela, foi levado pela ilusão e morreu na cidade.

------------LEAVE
Igual o final anterior, James discute com Maria e conversa com Mary. Mas na conversa, Mary perdoa James e insiste que ele continue com a sua vida, que durante os três anos da doença de Mary, foi voltada aos seus cuidados. Então James vai embora, perdoado, e encontra-se com Laura no cemitério. Então vão embora juntos. Neste final, temos um homem que venceu seus complexos e ao "teste" feito pela cidade. É o final feliz.

------------MARIA
Neste final particular. James se encontra com Mary no topo do prédio. Eles discutem. Mary o acusa de odiá-la, não o perdoa pelo que fez e insinua que ele achou Maria para substituí-la. Então ele a enfrenta, e volta para o Rosewater Park e reencontra Maria! Ela lhe pergunta: "Você achou Mary?", e ele sem percebê-la responde: "Não. Aquilo foi só algo que eu.... Maria?". Creio que ele ia falar que Mary foi só uma ilusão dele ou algo assim. Então ele aceita Maria e vão embora juntos. Mesmo Maria estando doente...
Neste final, ele continua com as suas ilusões e volta ao seu mundinho paranóico.

------------REBIRTH
Ele tem a mesma discussão com Maria. Então, após matá-la, ele pega os itens necessários e parte para o processo de ressucitação de Mary, descrito no livro "Lost Memories" (desta vez é o L.M. encontrado no jogo mesmo. Não a publicação). Dizendo coisas como “Mary, perdoe-me por te acordar, mas eu não posso viver sem você. Os deuses não deixaram essa cidade, e dão poder para os que os veneram. Poder para desafiar até a morte...".
Dá a entender que ele a ressuscitou.

----------------------------------
Porém, parece que o final "oficial" é o In Water. Pois em SH4 é dito que Frank Sunderland perdeu um filho e uma nora em Silent Hill. Provavelmente foi James e Mary. Uma consideração importante a respeito da história é que, só porque as criaturas, Pyramid Head e Maria são imaginação de James, frutos de sua loucura, não significa que ele não tenha entrado no hospital, no apartamento, no Hotel. Não significa que não tenha matado Eddie, ou que as pessoas que Eddie matou
não tenham morrido de verdade. Creio que com exceção das criaturas, PH, Maria, Mary e a carta de Mary, todo o restante tenha sido real.


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:03 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:36 pm



A história começa 17 anos após os acontecimentos de Silent Hill 1. Harry vai embora da cidade de Silent Hill carregando um bebê, Heather, dado por Alessa. Dr. Kaufmann, Lisa Garland e Dahlia Gilespie morreram. Alessa, no entanto, continua viva, subconscientemente em Heather. (Logo pode-se pensar que Alessa "ejetou-se" daquele seu corpo ferido para um novo).

Harry levou Heather e a criou longe de Silent Hill para escondê-la de seu passado. No entanto, algum fanático cultista desconhecido a encontrou e a atacou. Harry acabou atirando nele e o matando. Foi considerado legítima defesa e o caso se encerrou (isso está escrito no documento Douglas's Notebook, em SH3). Até então, Heather era chamada de Cheryl, mas logo teve seu cabelo pintado de loiro e o nome trocado para Heather, para despistar os seguidores do culto. Harry, como é um cara esperto, deu a Heather um pingente com uma pedra vermelha, e mandou que nunca do tirasse. Essa pedra vermelha nada mais
é do que Aglaophotis. A mesma substância usada para tirar Samael do corpo de Alessa, no fim de Silent Hill 1.

Dado os dezessete anos dos acontecimentos de Silent Hill 1, Heather, como toda consumista, vai passear no Shopping. Ela acaba caindo no sono em uma
lanchonete e tem um pesadelo recorrente. Porque ela tem esse pesadelo? Porque o embrião de Samael está crescendo dentro dela. Daí ela acorda e liga para o Harry. (nessa cena se percebe a relação de pai e filha que eles têm)

É quando Douglas, um detetive contratado por Claudia para seguir Heather, a encontra.

Mas quem foi e é Claudia? Claudia Wolf é filha de Leonard Wolf, ambos seguidores do culto. Foi uma amiga muito, muito próxima de Alessa. É uma profunda conhecedora do culto e estava junto com Alessa na sua decisão de dar a luz a Samael. Mas ela não soube da história toda. Ela não soube que Alessa se rebelou e acredita que o plano de Dahlia para trazer o deus a vida só não deu certo porque Harry interferiu. Então, ela pretende fazer Heather recordar de quem é (Alessa) e retornar àquele plano de gestar o deus (Samael) com ódio.

Douglas encontra Heather e a segue. Ele fala que tem um assunto importante para falar com ela, sobre seu nascimento, mas Heather o ignora e vai embora.
Então ela entra no banheiro e pula a janela para fugir do detetive chato. (Daí ela acha uma submetralhadora com munição infinita, hehehe, isso é cheat do jogo, brincadeira...). Ela dá a volta no shopping, entra por uma porta lateral. (nesse momento já dá pra perceber o silêncio anormal). Chega num corredor com quase todas as portas fechadas, sangue no chão e tal. Entrando numa loja de roupas deserta, Heather encontra uma pistola, e logo vê uma enorme criatura atacando um corpo. Heather mata a criatura no susto e deixa a loja perturbadamente.

Silent Hill 3 decepciona um pouco com relação à história das criaturas. Diferentes das versões anteriores, as criaturas mal tem uma explicação plausível para sua forma e existência.

A primeira criatura encontrada, desconsiderando o pesadelo jogável de Heather no início, é o Closer. O livro Lost Memories não menciona o porque de seu formato, nem nada. Simplesmente fala que o nome Closer é dado pois seu grande corpo obstrui as passagens, e que é fisicamente idêntico ao Mandarin de Silent Hill 2.

Andando nesse shopping, Heather encontra com Claudia. Pergunta onde esta todo mundo, o que está acontecendo. Claudia fala seu nome, e fala aquela frase famosa "They've come to na-na-na the beggining na-na-na...". Resumindo, ela fala que “vieram” para testemunhar o começo do paraíso rejeitado pela humanidade, e manda Heather se lembrar de quem ela realmente é, Alessa. Então Heather começa a passar mal, por causa do crescimento do embrião e Claudia vai embora. Então o Shopping mergulha de vez no "mundo alternativo"...
Quem jogou Silent Hill 1 já nota de cara uma enorme semelhança no aspecto de Cláudia e Dahlia de Silent Hill 1. Ambas de roupas escuras, aparência estranha e falando confuso.

De onde veio esse "mundo alternativo", se dessa vez não há a Alessa? Lembremos que o primeiro mundo alternativo era feito pelos poderes de Samael e Alessa unidos ao sofrimento de Alessa. Mas dessa vez é diferente, ele é feito em parte pela própria Claudia. Como? Alessa tinha poderes paranormais, assim como Claudia. Quem já jogou lembra de uma conversa entre Cláudia e Vincent. Ele diz a Claudia que esse mundo estranho era fruto da cabeça dela (não, não que seja imaginação, é que é causado por ela). Às vezes é coisa do Samael mesmo, pois também há vários momentos em que o ambiente se transforma junto a um surto de náuseas em Heather.

Nesse mundo alternativo aparecem várias criaturas. Após o encontro com Closer na loja de roupas. Heather enfrenta pequenas criaturas rosadas chamadas “Numb Body”s. A explicação para o seu nome (e é tudo que o Lost Memories diz sobre elas) é que vem de seus movimentos lentos e desajeitados e pela sua aparência de congelada. Logo enfrenta “Double Heads”, cães com a cabeça partida ao meio e faixas no corpo. O Lost Memories diz que eles têm esse aspecto por ser o mesmo de Alessa ao ter sido queimada. E Heather se depara, também, com criaturas voadoras, chamadas de “Pendulum”, batizadas assim por atacarem enquanto a parte de cima de seus corpos roda incessantemente.

Nesse shopping não acontece nada mais importante. Heather luta para sobreviver, enfrenta um monstro minhoca gigante e com a morte dele o "mundo alternativo se desfaz". (Provavelmente uma coincidência, já que isso não acontece com todo chefão). A monstro é chamado de “Split Worm” e deriva da criatura encontrada na escola do primeiro jogo, cuja cabeça também se divide em duas verticalmente.

Ela foge, encontra com Douglas e o condena por estar do lado de Claudia. Ele fala que só foi contratado e pergunta o que aconteceu. Heather fala que não sabe muito, admite que Douglas pode estar "perdidão" como ela, mas que não consegue ter dó dele, porque foi ele que levou Claudia até ela. Heather reflete que deve ser alguma coisa da qual ela foge e esqueceu a muito tempo, e derrepente se lembra de alguma coisa (o que? não dá pra saber). Daí ela vai embora pra estação de metrô, para pegar o metrô da casa dela.

Nessa estação aparece o primeiro “Insane Cancer”, uma criatura enorme egorda. Seu nome vem simplesmente da sua aparência. Novamente, os produtores se desligaram um pouco da tradição de se ter um motivo para a existência de cada criatura.

Na estação não acontece nada de importante. Apenas algumas coisas interessantes como o fantasma de um suicida que empurra Heather na linha do metrô. Mas ele só o faz se lermos um texto sobre a morte dele, e um outro que fala sobre almas penadas, podendo-se imaginar que talvez não houvesse o fantasma, e sim
a materialização do medo de Heather de que houvesse um.

Resolvendo alguns puzzles, Heather entra num metrô estranho que quase a atropelou. O metrô a leva a uma estação fantasma. Essa estação está ligada a uma passagem subterrânea, que também não tem nada de importante (somente uma cadeira de rodas jogada no meio do lixo. A explicação das cadeiras eu já dei lá no Silent Hill 1). Passando pelo esgoto, atravessa-se um prédio em construção e se chega numa parte realmente importante, o Office Building.
Esse prédio abriga vários estabelecimentos como escolas de dança e galerias de arte. Vale a pena chamar a atenção para uma porta (que não se chega a abrir). A porta do consultório psicológico, com três buracos quadrados, a mesma porta pintada num quadro do Silent Hill 1. Creio eu que seja um consultório que Alessa costumava visitar, provavelmente junto com Claudia, e que trouxe certo trauma para elas. Mas isso é especulação. A Konami pode ter tentado só relembrar o primeiro jogo, fazendo um “Easter Egg”.

Mas então. Andando pelo prédio, Heather chega numa banheira. Ela gira o registro, mas não sai água nenhuma. Então ela começa a passar mal (muito loko esse efeito das manchas correndo!), e o ambiente vai parar no "mundo alternativo". A tela fica preta e ouvimos a voz de Harry Mason (o pai dela) falando uma frase do primeiro jogo, que a cidade estava sendo tomada pelo submundo. Daí Heather acorda. Andando um pouco, antes da porta da sala, nós jogadores, vemos uma pequena foto de um sorriso. Essa foto (creio eu) é de Lisa. (É muito parecido com o sorriso dela naqueles vídeos finais do Silent Hill 1).

Um inimigo comum neste trecho do jogo é o chamado “Slurper”. Seu nome é esse por causa do verbo “Slurp” inglês, que significa o ato de fazer barulho ao se chupar algo, como sopa numa colher, por exemplo. No português não temos um verbo equivalente.

Mais adiante Heather encontra com Vincent. Ele reconhece Heather, "Heather... é assim que te chamam agora" (logo, ele sugere que ela tem outro nome, Alessa). Nesta conversa, ele se mostra contra Claudia e Harry, e acaba falando que Dahlia é mãe de Heather. Demonstra, também, admirador desse "mundo alternativo". Então Heather vai embora deixando ele falando sozinho pois percebeu que ele também não era normal.

Quem é Vincent? Segundo os documentos do jogo, Vincent é um ex-sarcedote do culto. Parece que ele largou o posto por discordar de alguns pontos e também por estar sendo acusado de usar o dinheiro da igreja para fins próprios. Agora ele segue a religião "do seu próprio jeito". E, obviamente, discorda do comportamento de Claudia. Qual é seu plano no jogo? Fazer com que Heather consiga o Selo de Metraton, com Leonard, pai de Claudia, e o use para parar Cláudia e o demônio.

Mais adiante se resolve um puzzle com base numa história lida por Heather (ou Alessa, mas provavelmente não, pois Heather se lembra razoavelmente bem da história). E também se queima e atravessa um quadro chamado "A mãe de Deus" (Sacou?), que só pode ser visto depois que o lugar todo foi parar no "mundo alternativo".

Mais adiante, Heather sai do lugar. Tudo volta ao normal depois que ela sai. Então ela vai para casa. (Olha só que coincidência! Heather morava do lado do lugar que Alessa visitava o psicólogo!). Chegando na sua casa ela encontra com Harry morto. Segue umas manchas de sangue no chão e encontra Claudia.

Ela diz que matou Harry para se vingar por ele ter atrapalhado os planos e também para encher o coração de Heather com ódio. Daí ela fala que quem matou Heather foi o bicho ali do lado e que ela só deu a ordem, e que estaria voltando para a cidade de Silent Hill.(realmente, tem uma parte do "mundo alternativo" que deve ser comandado por Claudia, visto que uma criatura sem dono não obedeceria a ordens). Heather mata o bicho (chamado "Missionário". Acho que se chama assim por causa de trazer uma notícia: "Bom dia Harry! Você vai morrer!". hehehe...).

O “Missionary” é descrito pelo Lost Memories como um membro do culto transfigurado pelo poder de Cláudia.

Continua no próximo post...


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:12 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:37 pm

... continuação do post de Silent Hill 3

Voltando para dentro de casa, ela encontra com Douglas, discutem, Heather culpa Douglas por tudo isso. (nesse ponto ele já está se sentindo culpado mesmo). Eles arrumam um pequeno funeral para Harry. Douglas comenta que se sente culpado pela história toda e diz que um tal de Vincent (Lembra-se?), mandou-o procurar um tal de Leonard e lhe deu um mapa. Também lhe entrega o livro que seu pai estava segurando quando morreu. Então eles vão para Silent Hill. No caminho, Heather conta um resuminho, bem resuminho mesmo da história do primeiro Silent Hill, que ela leu no livro do seu pai.

Chegando em Silent Hill, eles se dividem. Douglas vai para a casa de Leonard e Heather vai para o hospital (PELO AMOR DE DEUS, NÃO ME PERGUNTE POR QUE!)
Eu cansei de rever os documentos e os diálogos, mas não há nada que justifique a decisão de Heather ir para o hospital. Pode ter sido uma dica que Vincent deu para Douglas. "Olha! Esse Leonard tava internado no hospital" ou coisa assim. Sei lá. Mancada da Konami...). No hospital, é possível ver um vídeo de Heather falando no telefone com uma mulher desconhecida (esqueçam, ela não é ninguém mesmo!). Essa mulher insiste que é aniversário de 24 anos de Heather, mas é por causa de uma complicação na idade dela.

Olhem o rolo que se deu com as datas. Heather tem 17 anos. Está registrada como Cheryl, logo, tem 24 anos nos registros oficiais. Alessa teria 31 agora (17 de
Heather +14 de Alessa em SH1). Mas Heather termina o jogo carregando 38 anos de memória em sua cabecinha (7 de Cheryl + 14 de Alessa + 17 de Heather). Isso fica bem explicado no livro "Lost Memories".

O inimigo mais comum neste hospital é a famosa “enfermeira”. O Lost Memories diz “devem ser as enfermeiras do hospital transformadas em monstros, mas os detalhes não são claros”.... Bem, acho que o pessoal da Konami não pareceu muito animado em elaborar uma explicação pra elas....

Nesse hospital encontra-se vários recados de um sujeito chamado Stanley Coleman. Tudo que se pode dizer é que era um paciente do hospital psiquiátrico, e que escreve recados para Heather conforme explora o hospital. Não dá para se dizer se é alguém de verdade, pois alguém real não poderia prever o encontro com Heather, e nem persegui-la em um ambiente tão anormal. Mas dizer que ele é ilusão, ou algum fenômeno estranho causado por Heather também pode ser errado,
já que existem registros dele por aí. Acaba que existe muito pouca informação sobre ele.

Heather encontra uns documentos falando do sério estado mental de Leonard e chega a entrar em contato com ele. Leonard se mostra indignado com Claudia e disposto a impedi-la, e pede que Heather o solte. Então ela anda pelo hospital todo, resolve vários puzzles, completa um ritual no quarto em que Leonard supostamente deveria estar internado e chega a ele. Então eles discutem, brigam e Heather mata Leonard.

Que rolo é esse entre Heather, Leonard e Claudia? Trata-se de enganos e desentendimentos. O que Claudia planeja? "Vamos trazer o deus e ele dará o paraíso à humanidade!". Mas Leonard não concorda e crê que o deus deve ser trazido somente para aqueles que o adoram e que se dane o resto da humanidade. Então quando ele se mostrou contra Claudia, era nesse sentido. E Heather pensou que Leonard também queria matar Claudia. Então um se confundiu com relação ao outro, discutiram, Leonard pensou que Heather o tinha enganado, que só estava atrás do "Selo de Metraton" (Leonard, segundo ele próprio, é o guardião do selo,
nomeado pelo próprio deus.). Então brigaram.

Por que ele é tão feio? Segundo o Lost Memories, ele se tornou assim por reflexo do ódio de Cláudia por ele e por efeito do mundo alternativo. Cláudia o odeia por ele ter abusado dela na infância. Vincent sabe disso e comenta com Cláudia no decorrer do jogo.
Logo depois que ele morre, rola uma ceninha de Vincent e Claudia no Motel (Gente! Nos states, Motel é um hotel de beira de estrada, não é o que vocês tão pensando não...) no Motel onde Douglas e Heather estavam. Claudia reclama por Vincent tê-los mandado para Leonard.

Voltando tudo ao normal. Heather pega o selo no chão (Leonard morreu, ela pegou o selo...), e volta ao Motel. Lá ela encontra com Vincent, que dá para ela um recado de Douglas mandando-a ir para o Silent Hill Amusement Park. (Essa parte é muito engraçada, porque Heather não entende o recado e o
próprio Vincent tem que explicar... E outra coisa. Provavelmente foi o próprio Vincent que formulou o recado. Ele mandou tanto Heather e Douglas para o Parque, para encontrarem Claudia).

No parque, Heather tem outra náusea. O parque se transforma no "mundo alternativo", e ela segue. Passa pelos brinquedos estranhos e tal. Num dado momento, surge uma conversa entre Claudia e Douglas. Nessa cena, Douglas se mostra revoltado por ter sido usado por Claudia. Ela havia dito que Heather tinha sido seqüestrada de Claudia... enfim, discutem. Douglas ameaça matá-la e diz que já fez isso antes (matar alguém. Quando ou quem não se sabe.). Heather o encontra ferido. Claudia fez alguma coisa feia com ele, não sei se mandou algum monstro ou foi na telecinese mesmo. Sei lá. Ela decide ir sozinha, apesar da insistência dele. Nessa cena, Douglas toma consciência da importância de Heather para o plano de Claudia e quase a mata. Mas decide confiar nela.

Mais adiante, Heather entra no carroussel (Para quem não percebeu, aqueles cavalos não estão presos numa haste. Eles estão "espetados" em ganchos de guindaste! Eu já tinha zerado o jogo umas quatro vezes quando eu percebi. Fiquei tendo arrepios durante uma semana...). Nesse carroussel ela enfrenta um monstro chamado "Memory of Alessa". Ele não é Alessa, é só um mostro com a forma dela, criado pelo fato das memórias de Alessa estarem tentando voltar à Heather.

O carroussel se mostra sendo uma espécie de passagem secreta para o templo do culto. Quando a "memory of Alessa" morre, ela deixa uma escritura no chão. Trata-se de um pensamento que ela teve quando estava no leito do hospital. A escritura demonstra a preferência de Alessa em morrer a deixar o demônio nascer. Mas também fala da sua resistência em morrer...

Chegando no templo. Vê-se vários ensinamentos e orações nas paredes e tal. Dentro dele, Heather se encontra novamente com Claudia. Claudia reclama da interferência de Vincent por tê-la mandado ao templo, mas diz que isso não vai fazer diferença. Essa conversa é importante, pois é quando percebemos que Heather recobrou as lembranças de quando ela era Alessa. Ela discute com Claudia sobre a importância e a credibilidade desse "Paraíso". Mas Claudia acaba se
mostrando indiferente a vontade de Alessa (uma surpresa, pois até o momento ela só falava em cumprir a vontade de Alessa.) e deixa Heather passando mal.

Se o jogador entrar no confessionário ele poderá ver uma cena de uma mulher se confessando para Heather. Há quem diga que essa mulher é Claudia, mas eu duvido. A mulher diz esperar ser salva, enquanto Claudia, no final no jogo, diz que ela busca o paraíso para o resto das pessoas, pois ela já está condenada. Logo, não creio que seja Claudia...

Heather anda por toda a estrutura do edifício. Na biblioteca, Vincent desembucha todo seu plano para Heather. Admite adorar o "deus" (ou demônio), mas diz que não quer que ele nasça. Ele fala para ela da importância do Selo de Metraton e assusta Heather (assusta só, ele brincou) insinuando que aquelas criaturas não eram monstros, e sim pessoas. É nessa biblioteca que se encontra o livro que fala do engano que ocorreu com o nome do "Deus do Paraíso" e o Samael. Heather anda, resolve puzzles, e chega, finalmente, no real quarto de Alessa (aquele do Silent Hill 1 era só parte do Nowhere, e não o real). Resolve-se mais um puzzle e ela se reencontra com Vincent e Claudia. É onde Claudia fala seus planos. Vincent também. Eles discutem, Heather aparece. Claudia fala aquele negócio de não esperar ser salva, e mete a faca em Vincent.

Neste momento, Vincent grita para Heather usar o Selo de Metraton. Então pronto! Acabou o problema! NÃO!!! Claudia fala que na verdade o selo é pura superstição! Ele não serve para nada! NADA!!!
Logo, isso quer dizer que todo aquele trabalho que Alessa estava tendo no primeiro jogo era em vão. Então o nascimento do Samael só foi evitado a primeira vez graças a Harry, realmente. Heather, então, usa o Plano B! Engole o pingente com o Aglaophotis (Putz! Quando ela fez isso eu virei fã de carteirinha do Harry Mason. Que cara esperto!) Até então o jogo não havia dado informação de que o pingente era de fato Aglaophotis, somente um documento que fala que a substância também poderia ser encontrada em forma sólida. Então ela vomita o embrião (que na verdade já era um feto, já). Mas Claudia o engole. Ela queria que
seu corpo fosse usado para fazer o deus nascer. Daí ela vai para aquele buraco no altar. Derrepente surge o Valtiel...

"VALTIEL"! Segundo o Lost Memories, esse personagem foi criado para fazer um elo entre os três primeiros jogos da série. Ele é um anjo que tem o papel de servente direto do deus e também de executor. Ele foi muito idolatrado na cultura de Silent Hill. Tal que o roupão de cerimônia do culto (aquele que Alessa veste) e a roupa do Piramid Head foram baseados nele. Conforme eu já expliquei, Piramid Head era um executor na prisão durante a guerra civil. James estava louco e imaginou que esse executor estava indo atrás dele.

Mas então. Ele puxa Claudia para o buraco. Heather vai atrás e dá de cara com o deus deformado e com Claudia (ou melhor, as roupas de Claudia, como se seu corpo tivesse vaporizado). Ela mata o deus. Assim como no primeiro Silent Hill, o deus foi perturbado em sua formação. Logo, nasceu incompleto e fraco. Então pode "facilmente" ser morto. Heather lamenta uma última vez a morte de seu pai e retorna para junto de Douglas. FIM!

O deus, segundo o Lost Memories, nasceu com um rosto de Alessa devido à crença de Cláudia de que o deus de fato se pareceria com Alessa.
No final ruim, Heather meio que é possuída novamente pelo deus e mata Douglas. Mas não passa disso. É um final pobre em detalhes, eu não gostei.


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:17 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:37 pm



Esse jogo, de toda a série, é o que deve ter a história de modo mais claro. Não que a história seja mais simples. Porém, ela se desenvolve quase toda por base em registros. Então, nos momentos finais do jogo, já se tem acesso a toda ela no Scrapbook. Contarei a história em ordem cronológica, assim como fiz com os outros Silent Hills.

De início estava tudo bem (óbvio). O apartamento funcionava normalmente. Até que um casal (pais de Walter Sullivan), no apartamento 302 teve um bebê que não poderia sustentar. Então discutiram, arrumaram suas coisas e, na noite que a criança nasceu, largaram ela lá e fugiram. A criança (Walter) foi dada como abandonada e foi levada para um orfanato nas florestas de Silent Hill chamado Hope House. Esse orfanato era comandado pelo culto (é! Aquele mesmo culto dos outros jogos) e ensinou Walter muitas coisas, rituais e etc.

Um dia (maldito culto!) inventaram de levar Walter para "conhecer sua mãe". E, ao invés de procurarem a mãe verdadeira, levaram-no para o quarto 302. Logo, a pobre criança ficou com a idéia de que "o quarto 302 é minha mãe" metida na cabeça. Então, Walter, sempre que pode, ia visitar o apartamento. Nisso, ele incomodava os moradores do edifício.
Logicamente, o quarto foi alugado, e Walter não pode mais ir visitá-lo.

Um dia, Walter aprendeu um "pequeno" truque chamado "ritual da assunção sagrada" ( ou "Ritual of Holy Assumption") (Assumption não significa ascenção, como eu havia pensado, e sim assunção, que é algo como "apropriação" ou "usurpação").

Como que era esse ritual? Segundo os textos encontrados no jogo. Walter deveria fazer 21 vítimas, arrancando os corações das dez primeiras. Seriam 10 pessoas quaisquer, depois ele mesmo depois outras dez específicas. Estas específicas seriam eleitas de acordo com seus caráteres. Segundo Void (Vazio), Darkness (Trevas), Gloom (Tristeza), Despair (Desespero), Temptation (Tentação), Source (Fonte), Watchfulness (Observação), Chaos (Caos), Mother (Mãe) e Wisdom (Sabedoria). Walter pretendia se utilizar desse ritual para levar o quarto 302 para seu outro mundo, e assim ficariam juntos para sempre.
Walter começou assim que pode.

Sobre as primeiras dez vitimas o jogo diz pouco. Sabe-se apenas que a 4ª foi Steve Garland, dono de uma petshop, morto a tiros de metralhadora. (segundo um jornal achado no chão do Building Word). A nona e décima vítima foram Billy e Mirian Locane, dois irmãos mortos a MACHADADAS!!! Esse fato é comentado no
Silent Hill 2 (dentro do elevador, num Radio Show), e em um jornal também.

Nas vítimas, Walter fazia o favor (!!!) de marcar o número respectivo, como, por exemplo 07/21. Isso é, sete de vinte e um. Porém, devido a um erro de caligrafia, Walter fazia a barra " / " muito parecida com um UM " 1 ", então quando ele queira escrever 07/21, acabava escrevendo 07121. (Pode ser que tenha sido proposital, também, mas tanto faz. Acaba tudo dando no mesmo...). Feita as dez vítimas, chegou a hora de Walter. A polícia pegou o cara errado, que acabou se suicidando na prisão com uma colher no pescosso, permitindo que Walter realizasse sua parte no ritual sem complicações.
Pronto. Aí é que a história se complica. Pois com isso ele fundou um "mundo paralelo" (é, agora não é mais o "mundo alternativo"). Nesse mundo ele poderia caçar o restante das vítimas livre de obstáculos. Esse é um mundo estranho, mutante e cheio de criaturas horríveis, onde Walter tem poderes ilimitados, e que qualquer
pessoa que fosse pega ficaria vagando para sempre com um zumbi ou fantasma hostil. Então ele começou a caçada.

Com o auxílio de um texto publicado pela Konami após o Lost Memories, texto esse que só comenta Silent Hill 4, e está disponível em www.translatedmemories.com vamos fazer uma lista das vítimas.:
• Para a primeira vítima foi escolhido alguém que não conhecemos, chamado Jimmy Stone. Era sacerdote do culto, e foi morto com um tiro na nuca na Wish House.
• A segunda foi um estudante chamado Bobby Randolph, que foi estrangulado num acampamento na cidade de Pleasant River.
• A terceira foi outro estudante amigo de Bobby, chamado Sein Martin, que foi morto também por estrangulamento no acampamento.
• A quarta foi Steve Garland, dono de uma pet shop, morto a tiros em serviço.
• A quinta foi Rick Albert, gerente da loja “Albert’s Sports”, que chegamos a conhecer ao longo de Silent Hill 4.
•A sexta vítima foi George Rosten, também sacerdote do culto. Foi morto no altar subterrâneo de Wish House com um cano de ferro.

• A sétima e oitava vítimas foram Billy e Mirian Locane, crianças mortas a machadadas em frente a própria casa.
• A nona vítima foi Willian Gregory, dono de uma loja de relógios, que foi morto “esfaqueado com uma chave de fenda”.
• A décima vítima, para se encerrar a parte do ritual conhecida como Ten Hearts, foi Eric Walsh, balconista do bar que atravessamos em Silent Hill 4. Foi morto com um tiro no rosto.
•A décima primeira vítima foi o próprio Walter Sullivan. Como morreu? Foi com uma colher no pescoço? O próximo parágrafo dedicarei a discussão da história de Walter....

• Para a vítima de Void foi escolhido Peter Walls, um estudante drogado. Foi morto espancado até a morte num quarto de hotel do South Ashfield.

• Para a vítima de Darkness foi escolhida Sharon Blake, uma dona de casa, que foi afogada nas florestas de Silent Hill.

• Para a vítima de Gloom foi escolhido Toby Arehbelt, outro sacerdote do culto, que foi derrubado de penhasco de uns 30 metros.
• Para a vítima de Despair foi pego Joseph Schreiber, um jornalista que pesquisava casos estranhos. Ele começou a se aprofundar na história de Hope House e de
Walter. E como ele também morava no apartamento 302. Coisas estranhas começaram a acontecer com ele e com o apartamento. Ele foi entrando em desespero, enchendo a casa de velas. Até que ele descobriu que o corpo de Walter estava numa salinha secreta. Mas ele não conseguiu quebrar a parede para lá e acabou sendo consumido por esse mundo estranho.

• Para a vítima de Temptation foi escolhida Cynthia Velasquez, uma mulher promíscua. Foi morta com várias facadas na estação de metrô.

• Para a vítima de Source, Jasper Gein. Por que? Source significa fonte, não? Jasper vivia xeretando o orfanato Hope House, a fonte de todo o problema. Acho...
sei lá.... Foi queimado vivo por Walter junto com o orfanato.

• Para a vítima de Watchfulness (observação), foi eleito Andrew DeSalvo, porque ele simplesmente o zelador da torre circular. Já que eu explico essa torre. Foi morto por afogamento na sala de tortura da torre circular.

• Para a vítima de Chaos foi eleito Richard Braintree. Esse eu não sei bem o motivo. Mas ele era vizinho de Henry e parecia ser um cara bem nervoso e desregulado. Foi morto numa cadeira elétrica, no apartamento Ashfield Heights....

• Para Mother foi escolhida Eileen Galvin, por que é mulher, oras, e porque foi uma das únicas pessoas que Walter conheceu que o tratou bem. De modo que
ele a pôde enxergar como a “Mother Reborn”, que é a descrição completa da vítima de “Mother”.

• E para a vítima de Wisdom, Henry Townshend.

Continua no próximo post...


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:24 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:37 pm

... continuação do post de Silent Hill 4

Agora, o problema com a história de Walter.
Em Silent Hill 2, conhecemos um Walter que nasceu em Pleasant River, matou duas crianças com um machado, foi preso alucinando sobre o crime que cometeu e se suicidou em uma prisão. E encontra-se uma cova com seu nome junto à de James, Angela e Eddie, levando a crer que ele foi perseguido pelos poderes de Silent Hill. Mas em Silent Hill 4, conhecemos um Walter Sullivan que não nasceu em Pleasant River. Os relatórios de Joseph levantam a possibilidade dele ter sido preso, mas logo a derruba, dizendo que quem foi preso foi um inocente.

Agora, se foi um inocente, porque ele admitiu o crime, e porque Silent Hill criou uma cova com o nome de Walter, e não o nome real do inocente? E se foi realmente Walter que foi preso, porque ele ficou dizendo tantas bobagens à polícia tentando se explicar? O próprio Silent Hill 4 indica que Walter foi preso, mas depois desmente. No final encontramos um corpo sem marca alguma no pescoço, mas o texto publicado diz que ele morreu com golpes de colher na carótida....
A Konami parece ter feito uma baita duma confusão nesse jogo.

Agora é a parte interessante. Essa lista de vítimas eu fiz com base numas das folhas simplificadas de Joseph e do texto publicado. Mas se vocês forem ver no decorrer do jogo, não é só Wisdon, é "Receiver of Wisdon", ou seja, "recebedor da sabedoria". Então a Henry foi dada a "honra" de receber informações e mais informações e de testemunhar todo o processo.

Mas então. Henry acaba ficando preso no apartamento, pois como Walter está dando procedimento ao processo, o quarto vai, pouco a pouco, sendo levado para o outro mundo. Então aparece um buraco na parede. (a função desse buraco nada mais é do que levar Henry para testemunhar os acontecimentos). O buraco o leva para a estação de trem próxima a sua casa. Lá, ele encontra com Cynthia, que rapidamente se mostra uma... mulher promíscua. Ela pareceu achar que era tudo um sonho. Então eles saem andando para achar a saída da estação. Ele se desencontram, encontram de novo, desencontram e tal (quem jogou já sabe). E quando Henry a encontra, ela já foi atacada por Walter. E no seu corpo está marcado "16121".

Então Henry acorda em seu quarto novamente, pega alguns documentos (se alguém quiser saber quais documentos procure um detonado. Eu não to afim de ficar falando um por um.). O rádio meio possesso começa a transmitir a comunicação da polícia encontrando o corpo de Cynthia. A polícia começa a pensar que trata-se de um imitador de Walter (lógico, porque, para as autoridades, Walter se suicidou com uma colher na prisão.).

Ah ,é! Os fantasmas! Quem são os fantasmas? São as outras vítimas de Walter. A vítimas 1 a 10 e as 12, 13 e 14. É possível que cada uma das criaturas seja uma Vítima. E aquela criatura com duas cabeças são os irmãos Locane...

Então Henry entra novamente no buraco e vai parar onde? Nas florestas de Silent Hill! Próximo ao orfanato Hope House. Lá ele encontra com Jasper Gein, e resolvendo alguns puzzles, Henry e Jasper entram o prédio. Jasper se incendeia, induzido por Walter, e se marca com "17121".

Henry volta para casa, acha mais documentos que o ajudam a entender a história. Entra no buraco e vai parar na prisão circular.
O que é essa prisão circular? É um prédio onde eles prendiam crianças desobedientes ao culto. Torturavam nas e, pelo nível das informações encontradas lá, chegavam até a matar as crianças.

Nessa prisão, Henry se encontra com Andrew DeSalvo, o zelador do prédio. Andrew, depois de solto de uma cela emperrada, fala sobre como Walter era fanático pelo culto. (That kid, Walter... He was really into that mumbo jumbo...).

Daí Henry continua a andar e resolver puzzles. Até que ele entra numa sala de tortura, ou coisa assim, chama da "death chamber" (câmara da morte), e encontra com Andrew morto. Nele, marcado "18121". Henry volta para o apartamento, acha mais documentos e volta ao buraco, indo parar no prédio em frente ao seu apartamento. Um hotel. Esse é o papel de Henry. Testemunhar as coisas.

Nesse hotel ele encontra com Richard Braintree, seu vizinho. Eles nem chegam a se acompanharem. Richard logo age de modo rude e vai embora. (Quem aí reparou na gravata dele??? É o quadro do Silent Hill 3!!! "Mother of God"!!!).

Continuando a trilha. Henry vê Richard tentando intimidar o Walter pequeno. E também passa por vários lugares onde morreram outras vítimas de Walter, como por exemplo, a Pet Shop onde morreu Steve Garland.

Ops! Isso eu não expliquei. Nesse mundo estranho, Walter ficou dividido em duas partes. Uma adulta e agressiva, e outra infantil, que só busca amor. A parte adulta quer completar o ritual e matar as pessoas. A infantil apenas quer estar junto da Mãe. O quarto.

Então, continuando. Henry resolve alguns puzzles e tal, e chega ao quarto 207, o apartamento de Richard. Quer dizer, o quarto que hospedava Richard
milagrosamente foi parar no Hotel e Henry chegou até ele. Nesse quarto, encontra-se Richard morrendo numa cadeira de rodas, com a inscrição "19121". Nas suas últimas palavras ele grita que "aquilo não é uma criança, é o cara "11121". Quem é o cara "11121"? É o Walteeer!!!! Ou seja, ele percebeu que a criança era Walter e que estava matando pessoas. Como ele sabia que Walter era a vítima "11121" eu não sei...

Henry volta para casa e entra uma última vez no buraco. Nisso ele vai parar no seu apartamento ( não, não to falando do quarto 302, to falando do prédio mesmo). Rapidamente e vê Walter batendo na porta de Eileen. Então ele percebe que Eileen iria ser a próxima vítima. Então ele corre, corre, corre, resolve puzzles, corre, corre...

Aí! Ele encontra com Walter na escada do prédio e pode (pode, mas é aconselhável que o jogador não pegue) pegar uma boneca que Eileen havia dado para Walter. Quando? A anos, em uma dessa visitinhas do Walter ao quarto 302.
Essa boneca só faz aparecer mais fantasmas no apartamento.
Então! Henry corre, corre, corre e... chega tarde! Quando ele consegue abrir o quarto de Eileen ela já foi atacada e já está com a inscrição "20121".

Então Henry volta para seu quarto. Pega mais documentos. E vê a ambulância saindo com o corpo de Eileen. Boa notícia! Não foi o carro funerário! Então ele percebe que o buraco no banheiro se fechou. Então ele pega as placas (Eu esqueci de falar dessas placas. Ele acha uma antes de cada vítima. São as placas de
Chaos, Temptation, Source e Watchfulness.). Cada uma dessas placas representa uma redenção para uma vítima (segundo o documento Holy Scripture Scrap). Então ele coloca essas placas na despensa e, “voila!”, temos outro buraco!

Esse novo buraco leva Henry para o hospital onde Eileen está hospitalada. Lógico que o hospital está modificado, pois está no mundo de Walter.
Logo ao entrar no hospital. Henry se depara com Walter, que está mexendo no interior de um corpo de mulher. Como se observa na foto, esse corpo não é de ninguém conhecido. Nem sequer parece muito com o de Cynthia.


Andando pelo hospital ele encontra com Eileen. Nesse trecho, ela fala uma coisa interessante. Ela comenta que a criança a protegeu de Walter. Então é
por isso que ela sobreviveu! Pronto! Foi aí que Henry meteu o nariz onde não devia (sem malícia ae!). Ele levou Eileen do hospital e atrapalhou os planos de Walter. Então ele tenta fazer Eileen voltar para casa pelo mesmo buraco que ele veio, mas não dá certo. Henry volta para casa, sozinho, e encontra um documento de Joseph falando diretamente com Henry. Resumidamente, "Você também viu aquele outro mundo... ele é perigoso... ainda há esperança... continue descendo, até a parte mais profunda dele.".

Então Henry volta para junto de Eileen, descobre que o buraco não existe para ela. (Isso mesmo! Onde Henry vê um buraco, ela vê uma parede!). Então eles começam uma jornada por todo o mundo estranho. Eles vão andando, andando. Passam pela estação, pela floresta da Hope House (que se queimou com o Jasper). Nessa floresta eles também encontram com o Walter criança, e ele fala um pouco de seus pais verdadeiros, mas nada que eu já não tenha dito. Passam pela prisão e pelo Hotel. Sempre juntando mais e mais informações. Então finalmente chegam no "último" nível do mundo paralelo, o quarto 302 de Joseph. Um quarto cheio de velas (por que? para afugentar fantasmas!) e encontram com Joseph! Ele foi pego por fantasmas ou algo assim e ficou preso no teto. Porém, de algum modo, ele ainda foi capaz de escrever e ajudar Henry na sua odisséia (odisséia, legal falar assim...).

É aí que descobrimos a arma final contra Walter. Joseph dá uma pequena explicação sobre Walter (nada novo, que eu não já tenha escrito aqui), manda-os seguir o "Crimson Tome", e comenta algo importante: Eileen está sendo tomada pelo mundo estranho, ela é a "mãe renascida" (Creio que, então, a tendência dela
seria colaborar com Walter).

O que é esse "Crimson Tome"? Trata-se de um ritual de reversão ao "Holy Assumption". Ele fala da origem macabra do "Holy Assumption" (que de sagrado não tem nada, segundo ele). Ele manda basicamente:
Enterrar parte da carne da mãe dentro da carne do conjurador (no caso, Walter). E perfurar o corpo do Conjurador com as oito lanças do Void, Darkness, Gloom, Despair, Temptation, Source, Wathcfulness e Chaos. (ou seja, uma lança por cada uma das vítimas especiais. Deve ser uma espécie de vingança por cada uma.). Assim, o super corpo do conjurador, Walter, vai se tornar humano novamente.

Henry pega uma picareta chamada "Hope" (esperança), volta ao seu quarto, quebra a parede falsa (que Joseph não tinha conseguido quebrar, já devia estar muito destruído pelo pânico quando tentou), e encontra o verdadeiro corpo de Walter. Com ele, encontra as chaves para as correntes da porta. Então ele sai do quarto. E surpresa! Tudo está zoado! Por que? Porque o quarto está quase totalmente mergulhado no mundo paralelo de Walter. (Se alguém entra num submarino, mergulhar e abrir a escotilha, não vai sair em terra firme. É a mesma coisa.). Então Henry e Eileen vão parar novamente no apartamento. Andam, andam e andam. Chegam no primeiro andar. Lá eles encontram com um livrinho com um desenho do pai de Walter. Isso mesmo! Walter sentia falta de um pai! (se eu fosse pai dele, ele ia tomar tanta chinelada...hehehe).

enry continua o caminho e encontra com corpos pendurados. Cada um carregando uma lembrança do pai de Walter. É aí que percebemos o desgosto que Walter tinha de seu pai.
Depois de ver todas as lembranças, Henry consegue acesso ao único quarto do apartamento que ainda não tinha entrado. Lá está o cordão umbilical de Walter. Frank Sunderland (Que provavelmente é pai de James, SH2), o síndico do apartamento, o havia encontrado e guardado em seu quarto. Qual a importância de se pegar o cordão umbilical? Ele é a única parte disponível da "carne da mãe" para ser utilizada no ritual do "Crimson Tome". Mas aí que o bicho pega. Eileen decide ir até Walter porque foi tomada por esse mundo louco, e vai embora. Então Henry corre de volta ao seu quarto, 302, e ao chegar ao corpo de Walter, vê que ele
não está mais lá. Ambos foram "tragados" pela poça de lodo embaixo. Então Henry vai atrás deles. (primeiro ele aparece em um lugar vermelho. É o lugar onde estão as dez primeiras vítimas. Depois ele encontra com Walter).

Encontrando com Walter ele vê um monstro gigante (que é o corpo verdadeiro de Walter, de algum modo ele se transformou.), um Walter espírito e Eileen, andando vagarosamente em direção a uma máquina que vai matá-la. Então Henry corre e faz o ritual do "Crimson Tome" (entendeu porque você tem que fazer aquelas coisas no final?). Ele enfia o cordão umbilical no corpo de Walter, e, em seguida, as oito lanças. O espírito de Walter se torna carne e osso, novamente e Henry o mata.

O resultado final depende do que o jogador fez ao longo do jogo. Considerando-se o final “21 Sacraments”, tem-se que Walter completa o ritual, sacrificando Eileen e também Henry. Eileen é encontrada morta nas florestas de Silent Hill, e Henry é encontrado totalmente desfigurado, enquanto Walter fica curtindo o apartamento novo que arranjou.
Já no final “Mother”, Henry e Eileen conseguem fugir, mas o apartamento é perdido permanentemente para mundo de Walter. No final “Eileen’s Death”, Henry consegue impedir que Walter complete o ritual, salvando o apartamento dos fantasmas e destruindo Walter, mas deixando que Eileen morra.
Porém, no final bom, o “Escape”, Walter é morto por Henry, o apartamento volta ao normal, e Henry e Eileen se encontram no hospital. E está tudo razoavelmente bem. Fim!!! (Morre todo mundo e se chama final bom. Fala sério...)


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:30 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:38 pm



Silent Hill Origins conta a história de Travis, um caminhoneiro com um passado perturbador, que acaba indo para Silent Hill e acaba se envolvendo com o Culto no período do ritual chave de toda a trama, aquele que colocaria um demônio no corpo de Alessa, para que pudesse haver um paraíso na terra.

Pessoalmente, não sei se chamo classifico a trama como "complexa" ou "desconexa". Muitas das coisas são claras e explícitas, mas outras parecem simplesmente aleatórias, coisas acontecem "porque sim". E tudo se agrava com a sugestão do final Bad de que Travis é o próprio Butcher, e com o comportamento "sempre
conveniente" do Flauros.

Pois bem, narrarei do ponto de vista primariamente cronológico, não do ponto de vista do jogador. Assumirei que aquilo que lemos e vemos no jogo é verdade, a menos que o próprio jogo jogue dúvidas encima. Porém, como o fato do Butcher ser Travis põe em dúvida praticamente o jogo todo, só vou discutir isso e outras
questões no final.

O fato mais antigo que se pode ter conhecimento é um problema familiar. Tudo começa com uma mãe tentando matar a si e ao próprio filho com um vazamento de gás na própria casa, alegando que ele era "the Devil's Child". Graças ao visinho Bryant, a polícia foi avisada, e tanto a mãe quanto o filho foram salvos.

A mãe, no entanto, foi internada no Cedar Grove Sanitarium (sanatório, não sanitário, mas a idéia do trocadilho é engraçada, hehehe). A princípio, ela parecia calma, e negava ter tentado matar seu filho. Mas com o passar do tempo ela foi se tornando agressiva, chegando a atacar o marido durante as eventuais visitas.
O marido não agüentou a vida sem a esposa, ter que cuidar do filho sozinho e tudo mais. Até que um dia pediu que o menino ficasse no fliperama de um hotel esperando que ele voltasse. Mas ele voltou para seu quarto e se enforcou. O filho, no entanto, não esperou muito, e acabou procurando pelo pai no quarto. Ao encontrá-lo morto, ficou ao lado do corpo por dez horas, até que a equipe do hotel percebeu a situação.

Essa é a história de Travis, Richard e Helen Grady.
Travis se tornou um caminhoneiro. E o jogo começa quando Travis, durante uma de suas viagens, passa por Silent Hill.
Um holograma de Alessa (vou chamar assim a Alessa saudável que a gente vê") se põe à frente do caminhão e força Travis a parar. Vale notar que foi o mesmo que ela fez, sete anos depois, com Harry Mason.
Ok. Cheryl é igual a Alessa, conforme fica claro ao longo de SH1 e SH3. Em SH1, Cheryl (a esquerda) tinha sete anos, que é a mesma idade de Alessa (à direita) em SH Origins. Desprezando o fato da original ser asiática, e da atual ser nitidamente americana de olhos azuis, não houveram erros sérios, hehehe.

Travis é induzido a ir até uma casa em chamas, casa que o culto incendiou como parte do ritual de trazer o deus do culto à vida. Recapitulando: O culto precisa de uma mulher com poderes mentais, que sofra muito para gerar o deus. Alessa cumpria os requisitos, só faltava o sofrimento.
Na casa, ele vê Dahlia fugindo do local, mas ele entra no prédio, onde está o corpo físico de Alessa.

Interessante ressaltar que essa casa já aparecia em Silent Hill 1, o jogo original, feito lá em 1999.

Embora a casa tenha sido lembrada pela produção, esqueceram do fato de que a casa não ficava na frente de uma estrada, hehehe. Mas não podemos negar o capricho em remeter ao jogo "pai" de toda a série.

Quando Travis alcança Alessa, dentro da casa, ela diz "Deixe-me queimar". Pessoalmente, só posso comentar: "Do que diabos você ta falando, menina?". Mas de boa. Discuto isso depois. O buraco é mais fundo.

Travis tira Alessa de lá e desmaia pela intoxicação, creio eu.

Porém, ele acorda nas ruas de Silent Hill, e resolve passar pelo hospital Alchemilla, para que possa ter alguma notícia de Alessa. No hospital, logo de cara, ele encontra Kaufmann, sete anos mais novo, e totalmente irreconhecível pra quem jogou a versão original. (Cara, visualmente é uma gafe atrás da outra...)

A conversa não é importante, a não ser por mostrar que Kaufmann evita dialogar com Travis.
No hospital, Travis enfrenta a primeira enfermeia do jogo, e encontra novamente o holograma de Alessa. Ela o ensina a entrar no mundo alternativo através dos espelhos. Travis resolve um puzzle de anatomia e consegue entrar numa sala e achar um pedaço do "Futuro" do Flauros. Isso é alguma insinuação? Futuro de quem? Da Alessa que passaria o futuro no hospital? Do Travis que passaria o futuro preso numa camisa de força como a criatura que ele matou?

Ok. Após ele pegar o pedaço do Flauros. O holograma reaparece e o faz desmaiar novamente. Ele é acordado no hospital pela Lisa, que conversa um pouco com ele, e menciona o incêndio, que ninguém sabe a causa, e que foi uma pena Alessa ter morrido desse jeito (não chore, ela não morreu). Aí acontece uma coisa que, para mim, é meio confusa. Ela menciona que tem que sair, porque o Dr. Kaufmann vai estar esperando-a no Cedar Grove Sanitarium (talvez pra levar o papel higiênico, hehehe, brincadeira), mas depois comenta: "Maybe see you around?". "See you around?" pode ser entendido como um simples "até logo", ou também como um convite "Te vejo por lá?". O primeiro caso soa mais natural, mas não explica porque Travis iria para o Sanatório. O segundo caso explica a questão, Travis vai para o Sanatório porque Lisa convidou. Mas porque Lisa convidaria? Você tem uma questão importante para falar com seu chefe do hospital, provavelmente sobre uma menina que foi totalmente queimada por um culto piromaníaco, e você convida um estranho pra te fazer companhia? WTF?

Pois bem. Lisa parece mais velha em Origins... meu deus...

Travis então decide ir para o Sanatório (seja por ser convidado ou por ser xereta, tanto faz), mas encontra todas as rotas bloqueadas, e é obrigado a fazer um desvio por dentro do açougue.
É aí que aparece, pela primeira vez, a figura do açougueiro (Butcher).

Ele simplesmente mata uma enfermeira, e vai embora, ignorando Travis.

Assim, Travis atravessa o açougue e vai para o Sanatório. No Sanatório, Travis encontra Dahlia, a reconhece, e, no dialógo, ela deixa escapar que Alessa está viva, sob o cuidado "daqueles que se importam com ela", e que o incêndio foi proposital.
O Sanatório é provavelmente o maior lugar a ser explorado em toda a série Silent Hill (com exceção das ruas, claro). Mas pouca coisa realmente acontece lá, exceto o fato de Travis descobrir (ou relembrar) o passado de sua mãe, através de vários documentos.

No final deste trecho do sanatório, Travis encontra Lisa, que solta umas frases irrelevantes, e enfrenta uma criatura, que representa sua mãe.

Após derrotar a criatura, uma segunda parte do Flauros aparece, com o nome de "Passado". Quando Travis pega essa segunda parte, ele percebe a semelhança com o que aconteceu no hospital, e já percebe que é Alessa que está guiando as coisas. O holograma aparece novamente, e desaparece, à medida que Travis faz perguntas em vão.

Travis acorda no hall do sanatório, e, a caminho da saída, encontra uma entrada para o teatro. No teatro ele chega sem problemas, tem de atravessar um ferro velho e entrar dentro de um apartamento, mas nada com grande importância agora. No teatro ele encontra novamente Lisa. No diálogo ela parece não estar enxergando a cidade de modo tão estranho quando Travis, pois ele diz "O que você está fazendo sozinha aqui? É perigoso", e ela responde "Perigoso? Você está brincando?".

No teatro não acontece nada importante, somente algumas coisas curiosas, como alguns documentos que relatam um teatro com personagem chamado "Caliban". Esse Caliban é uma espécie de deus na tal peça teatral, que tem a aparência de um boi. Os figurinistas elaboraram a figura desse tal caliban utilizando referências dos "mitos regionais", e utilizaram o Valtiel como base. Valtiel, relembrando, é uma das entidades adoradas pelo culto do qual Dahlia e Alessa fazem parte.
Acontece que Alessa, certo dia, conseguiu entrar no teatro e assistiu parte do ensaio, e ficou muito assustada com o Caliban. Mas o ensaio foi interrompido devido ao ator Tony ter tido dor de cabeça e sangramento no nariz.
Depois desse incidente, outro ator começou a sonhar com o Butcher, chegando ao ponto de alucinar (será alucinação mesmo?) com o Butcher durante o dia, jurando que o mesmo estava no seu motel.

Após vagar pelo teatro, Travis enfrenta uma criatura, simbolizando o Caliban. Derrotando-a, novamente o ciclo se repete, uma parte do Flauros aparece, a parte "Falsidade", o holograma da Alessa aparece novamente e dá um chute no defunto do Caliban (talvez algum tipo de vingança).
Travis já aparenta estar entendo melhor a situação, dizendo "Você precisa disso, não?", logo após pegar o pedaço do Flauros. Mas Alessa, novamente, não responde e o faz desmaiar.
Ele acorda na entrada, com o corpo de um dos bonecos animados inimigos ao chão, junto com a chave do Riverside Motel (lá, motel é um hotel de beira de estrada, e não um hotel sexual como aqui no Brasil).

Para chegar no motel, ele tem que passar por uma livraria e uma loja de conveniências, mas nada importante acontece. Fora a curiosidade de você abrir a caixa registradora da livraria usando o número do quarto que você atravessou quando ia para o Teatro.

No motel, Travis revira lembranças do seu pai, coisas do momento em que chegou ao motel, até o momento que seu pai o deixou no pinball e foi para o quarto se
suicidar. Porém, no meio tempo, ele encontra o Butcher, e luta com ele na cozinha, derrotando-o, e prendendo seu facão na própria criatura.
Também, entrando em um dos quartos do motel, ele encontra Lisa e Kaufmann numa hora bastante inoportuna, indicando que eles estavam tendo um caso. Drogas também podem ser encontradas sobre uma mesa. Mas a conversa entre eles é rápida, artificial, e totalmente irrelevante para a história.

Pois bem. Em certo ponto, Travis consegue acessar o quarto em que seu pai se suicidou, e consegue conversar com um "fantasma" do seu pai. Porém, uma criatura surge, Travis destrói a criatura, e uma quarta parte do Flauros surge, chamada de "Verdade".


Continua no próximo post...


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:36 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:51 pm

... continuação do post de Silent Hill Origins

Travis então provoca Alessa, dizendo "Apareça, eu peguei sua coisa pra você!". Quando Alessa surge, Travis reclama por ela estar invadindo suas lembranças, e questiona se não seria interessante entrar também na mente perturbada da menina. Como sempre, ela não responde, e Travis desmaia novamente.

Dessa vez, ele acorda no porão do Alchemilla, onde Dahlia escondeu a última parte do Flauros. Eu não havia mencionado até agora, mas ao longo dos jogos encontramos alguns textos que mostram que Dahlia estava preocupada com Alessa estar guiando Travis, então ela decide dividir o Flauros e esconder suas
partes. Travis pega a parte central do Flauros e o remonta. Logo o Flauros começa a brilhar, e, junto com um clarão se escuta barulho de vidro quebrando, então surge Alessa olhando para as próprias mãos, dando a entender que o poder que o culto tinha sobre seus poderes se foi. Então ela sai andando, e Travis a segue.

Saindo do hospital, Travis encontra com Dahlia, que o critica por ter libertado Alessa, mas diz que isso é irrelevante, pois logo ocorrerá o ritual, e ela dará a luz ao deus. Então chega o holograma destruindo tudo ao seu redor. A influência do filme é nítida nessa cena (assim como os olhos azuis da Alessa americanizada, aaaargh).

Travis foge do holograma, mas acaba sendo engolido pela destruição, e logo se encontra em ruas totalmente deformadas. Mas com a ajuda de um mapa ele chega até a Antique Shop, que era um lugar escondido onde o culto fazia as suas reuniões, e também aparece no Silent Hill 1.

Nesse local, Travis encontra o culto reunido numa cerimônia em torno do corpo físico de Alessa. Quando ele entra na sala, o culto percebe, e Kaufmann libera um gás atordoante sobre ele. Travis começa a alucinar com uma conversa de Dahlia com Alessa, e então surge um último monstro, carregando a forma de um símbolo que ele via ao fundo da sala.
Pois bem, derrotando a criatura, o Flauros novamente se abre, e "arames farpados mágicos" atacam a criatura, a transformam em um pó, que é aprisionado pelo
Flauros. Pessoalmente, considero muito "inoportuno" o aparecimento dessa criatura. Do nada, ta-da, tem um monstro pra enfrentar. Não faz sentido. Esse monstro estava na Alessa? Estava no ambiente? Estava dentro do Flauros? Ele derrota um monstro dentro do Flauros e o Flauros captura o que já estava dentro dele?

Então Travis acorda, e vê o Flauros rodopiando em sua frente. Alguns integrantes do culto se assustam e fogem do locam (medo do Flauros?), então o Flauros libera um raio e cria um bebê sobre o corpo carbonizado de Alessa.

Com o final bom, Travis volta para o seu caminhão, zera a quilometragem (vida nova, talvez? Começar do zero?) e o holograma de Alessa é deixado com o bebê criado no processo, Cheryl, que futuramente seria adotado por Harry Mason, e retornaria para a cidade em Silent Hill 1.

No final ruim, Travis acorda se debatendo preso à uma cama, tendo flashbacks de injeções que recebeu e de vozes implorando por misericórdia, junto com várias cenas relacionando-o, ou melhor, dizendo que ele e o Butcher são a mesma pessoa. Mas isso eu discuto à seguir.

O que muda e o que não muda com Silent Hill Origins?
Bem, de um modo geral, Origins veio confirmando muitas da teorias que já existiam, de que Cheryl era um "clone" de Alessa, feito numa tentativa voluntária de escapar do ritual. Confirmou a idéia de que ela havia sido queimada pelo culto para sofrer, e etc.
De um modo geral, Origins veio mostrar, visualmente, algo que nós já conhecíamos na teoria. Nada estrutural muda com o Origins, tal que não tenho nenhuma coisa importante para mudar nos textos que já havia escrito sobre SH1 e SH3.

Porém, uma certeza veio com Origins: Samael é mesmo o demônio adorado pelo culto. A única vez que esse nome aparece na série foi em Silent Hill 1, quando Dahlia mente para Harry dizendo, sobre o selo de Metraton, "Aquela é a marca de Samael, não deixe ser completada". Ou seja, a única vez que o nome aparece, é dentro de uma mentira. Não havia, até então, nenhuma relação sólida da criatura adorada pelo culto, e o nome Samael. Os fãs chamavam a criatura por simples moda. Alguns preferiam chamar de "Incubus", pois é o nome dado pelo Lost Memories.

Porém, em Silent Hill Origins, encontra-se um texto nitidamente associando o nome ao deus.

...it is believed a being of
tremendous mental energy may
become a vessel capable of giving
birth to Samael, the God
worshipped by this cult.


(Note on the Ritual)

Embora a produção tenha se dado ao cuidado de reproduzir a casa mostrada em Silent Hill 1, é interessante saber que ignoraram, por outro lado, a extensão das queimaduras sofridas por Alessa. Em SH1, Alessa aparece com o rosto intacto, sendo que as queimaduras atingiram somente os braços e o tórax. Mas em SHO, ela aparece completamente carbonizada.

Mas isso é só um ponto estético e não afeta a história. De qualquer modo, ela foi queimada, e apesar do dano absurdo, ela continuou viva de forma bizarra, conforme é mostrado em Silent Hill 1 (com o relato de Lisa que não entende como ela continua viva) e em Silent Hill Origins (com o relatório de um médico dizendo que "alguma coisa" impediu que o dano chegasse aos órgãos internos).
O problema que enxergo com Alessa é quando juntamos com Silent Hill 3. No geral, Cláudia, que era amiga de infância de Alessa, testemunhou o processo do ritual. E Silent Hill 3 acaba deixando a idéia de que Alessa era a favor do ritual, porém, mudou de idéia durante o tempo que ficou presa, queimada, no hospital.

Heather: My little Claudia. My dear, sweet sister.
Claudia: Alessa? Is it you? Oh, how I've missed you!
Heather: I don't need another world. It's fine the way it is.
Claudia: But you said it yourself. The world must first be cleansed with fire.

Mas, em Silent Hill Origins, coisas levam a crer que Alessa já não gostava da idéia desde o inicio. Tanto documentos que mostram que Alessa era problemática, e que Kaufmann e Dahlia tentavam acobertar sua vida, até o fato dela ter atraído Travis para a casa e Travis ter salvado-a.
Porém, isso não explica também porque ela pediu que Travis a deixasse queimar, mas logo em seguida sai abrindo caminho dentre as chamas.

Alessa nunca quis ser queimada, ou quis e depois mudou de idéia?

O Flauros por outro lado, se tornou uma coisa muito confusa. Em Silent Hill 1, ele foi simplesmente uma arma que quebrou os poderes da Alessa, e permitiu que Dahlia se aproximasse e a dominasse novamente. Porém, em Silent Hill Origins, ele é declarado com uma "caixa" capaz de aprisionar demônios, e no final aprisiona o demônio que aparece, e divide Alessa em duas, criando Cheryl. Porque, em uma hora ele liberta Alessa, em outra ele a agride, e porque ele a divide em duas?
Eu não consigo enxergar padrão nisso, a não ser o fato dele "quebrar barreiras". Ele quebrou o feitiço de Dahlia sobre Alessa em Origins, e no Silent Hill 1 ele quebrou a barreira que impedia Dahlia de se aproximar de Alessa. Mas, o que tem de coerente em uma "armadilha para Demônios" quebrar barreiras e dividir jovens paranormais em dois seres? Para mim não faz sentido. Acabo acreditando que o poder do Flauros é "fazer aquilo que os roteiristas quiserem", infelizmente.

Agora o Butcher, que acho que é o problema maior da trama. Se relacionarmos tudo que envolve o Butcher no jogo, teremos que:
-Encontramos ele duas vezes ao longo do jogo, uma no açougue, outra no motel. Em ambas ele está agredindo criaturas. Na primeira ele ignora Travis, mas na segunda ele o enfrenta.
-O Butcher está sempre adiantado em relação à Travis.
-O Butcher se parece com Piramid Head. Não somente do ponto de vista do jogador, mas dentro da própria trama. Segundo o texto encontrado no teatro:

Since what happened to Tony. I've
dreamt about HIM more and more!
THE BUTCHER!

He looks just like that monster, the
executioner!

Now I've seen him when I'm
awake. He's at my motel! It's HIM I
swear it!



-E teremos, obviamente, o final, que mostra claramente que o Travis é o Butcher, e escutamos vozes dizendo, especificamente:

(Voz de mulher)
-Do que você está falando? Eu não sou sua mãe! Por favor, não! (E em seguida um som de metal, igual o das facadas do Butcher).

(Voz de homem)
-Desculpe, senhor. O motel está fechado durante a temporada. Espere! (E em seguida um grito)

(Voz de outro homem)
-O que você está fazendo, filho?
(Voz mais jovem)
-Cuidado, pai!

Nós também enxergamos um reflexo de Travis na parede, e o ombro de alguma pessoa que o estaria observando.

Não precisamos ser paranóicos. O reflexo é o próprio Travis. Está tudo lá, a calça azul, o colete amarelo, a manga vermelha e o boné. E do vulto não se enxerga nada mais que um ombro escuro, à medida que ocorre o "fade-out" do filme. A princípio eu acreditei ser um simples médico. Mas agora, escrevendo esse texto, dei uma olhada nessa imagem.

E o ombro do final parece ter o tom avermelhado e a "ombreira" do robe cerimonial do culto. Mas é muito pouco nítido para se ter certeza.
Se considerarmos que Travis era mesmo o Butcher, isso encaixa convenientemente com um texto que fala de dupla personalidade em crianças que sofreram trauma. Texto encontrado no teatro, dentro da biblioteca do mundo alternativo.

Throughout these case studies, we
see the victims' brains struggling to
cope with the conflict caused by
abuse at the hands of a loved one.
In many of the cases, the abused
child's self appears to split in two.

One personality continues to love
the abuser and seeks their
approval. The other personality
contains all the rage and anger of
the abused and in many ways
becomes a mirror of the abuser,
seeking to inflict its pain on
others. Sadly, it is often this self
that becomes dominant.


(An ID torn in two)

E teríamos a seguinte interpretação da história. Travis era um cara traumatizado, e Alessa usou esse seu trauma, fazendo-o pensar que estava andando por um mundo bizarro, quando na verdade estaria andando por um mundo plenamente real, matando pessoas, e pegando os pedaços do Flauros para ela. Assim, ele teria matado uma mulher de verdade quando pensava estar matando a criatura que representava sua mãe, teria matado outro homem quando pensava estar matando o monstro de seu pai, teria entrado no Motel quando ele estava fechado, e várias outras coisas.
Não necessariamente isso implica que seus pais não tenham tido os problemas que tiveram (ou que ele mesmo matou os pais, como já vi dizerem por aí). Pelo contrário, só fortalece a idéia de um trauma violento na infância.

A mãe dele também teve acesso ao mundo dos espelhos, ainda quando ele era pequeno. Aí, podemos assumir que ou o mundo alternativo existe, e é algo independente de Alessa (que nem havia nascido ainda), ou então assumimos que o mundo alternativo (mundo alternativo do espelho, não aquele que observamos em SH1 e SH3) é uma farsa, uma alucinação, que foi herdada da Helen para o Travis.
Porém, se Travis é o Butcher, e o mundo alternativo não existe, foi uma alucinação dele, continua muito confuso o fato de um ator do teatro ter visto o Butcher por aí, chegando até a dizer que o Butcher estava no mesmo motel que ele.

Oras. O ator começou a ver o Butcher logo depois do incidente do sangramento do nariz do Tony. Esse foi o mesmo dia que Alessa entrou no teatro e se assustou com o Caliban, e, necessariamente, foi a vários dias antes do ritual que queimou Alessa, e bem antes de Travis chegar à cidade.

Ou seja, Travis estava lá em Silent Hill o tempo todo, e nem caminhoneiro é, porque a conversa do começo também deve ser uma farsa.

Hã? Isso pra mim já parece muita viagem. Isso tira a certeza do jogo todo. Onde Travis andou realmente? Quem ele encontrou? Ele falou com Lisa? Encontrou realmente Kaufmann? Ele estava vestido de Butcher ou de caminhoneiro? Ele trocava de roupa pra matar as pessoas?
Se acharmos que as visões de Travis no final ruim são algo induzido pelos remédios que alguém do culto deu a ele, nos livramos da questão do Butcher ser o Travis. Mas aí ficamos com o mesmo resultado do final bom, exceto pelo fato do Travis não ter ido embora, mas sim sido capturado e torturado pelo culto.

Pessoalmente, gosto da idéia do Travis ter sofrido um trauma, e herdado a alucinação da mãe. E quando Travis adentra Silent Hill, Alessa resolve utilizar sua doença para pegar o Flauros e se livrar do culto. Mas, conforme já mostrei, isso encontra alguns problemas.

Para finalizar, outra questão interessante é o tempo que Travis dormia entre uma parte e outra do jogo. Ele salva Alessa do incêndio, acorda na rua e vai pro hospital. Nesse meio tempo, Alessa já foi levada pelo culto, e já foi examinada por médicos, que deixaram um documento falando do nível do dano sofrido pela queimadura (já mencionei esse documento lá atrás). Depois do hospital, ele já vai para o Cedar Grove, e em seguida para o teatro. A caminho do teatro você já pode passar pelo Public Records. É um prédio não necessário para se terminar o jogo, mas lá você encontra um documento policial falando do incêndio na casa de Alessa, falando de como as investigações estavam indo, de como o incêndio foi suspeito. Mas o texto já havia sido mexido por alguém, que disse que um aquecedor do porão causou o incêndio, e que Alessa foi declarada morta pelo Kaufmann. Ou seja, no tempinho de jogo que a gente vai do incêndio até o teatro (o que, duas horas de jogo?) A polícia já fez uma boa investigação no incêndio, e alguém do culto já foi capaz de meter o dedo e manipular a informação.

Mas como Travis pode ser o Butcher, o caminho que ele faz também é incerto. Talvez ele não tenha demorado tanto dentro de cada prédio, ele pode ter ido direto ao ponto, e aquele enrola-enrola de abre porta, usa item, mata monstro, que a gente joga seja só uma memória falsa. Então a gente fica totalmente sem noção de tempo, e sem certeza se aquilo que a gente testemunha no jogo realmente aconteceu, tanto as partes dentro do mundo alternativo quanto o na Silent Hill enevoada.


Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:42 pm, editado 2 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:51 pm

Reservado para atualizações de Silent Hill: Homecoming




Última edição por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:43 pm, editado 1 vez(es)

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 7:52 pm

Reservado para continuação das atualizações de Silent Hill: Homecoming


Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Oblivion em Dom Abr 26, 2009 8:52 pm

INTROS

SILENT HILL


SILENT HILL 2


SILENT HILL 3


SILENT HILL 4


SILENT HILL ORIGINS

Oblivion
Premium Format

Número de Mensagens : 4827
Idade : 33
Localização : There and back again...
Data de inscrição : 29/01/2009

http://dowant.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por QUEROMARVEL em Dom Abr 26, 2009 11:36 pm

Cara, acabei de ler a história do 1 e do 2, não sei se vou conseguir ler o 3 ainda hoje, mas preciso te parabenizar!! Muito legal!! Esse pessoal da Konami deveria se juntar com o Clive Barker e fazer a maior história de terror de todos os tempos!! Que gente criativa, tá louco.... se não fosse esse resumo aqui, nunca que eu iria entender a história toda de Silent Hill...

QUEROMARVEL
Legendary Scale Figure

Número de Mensagens : 7331
Idade : 31
Localização : Ysmault, inferno... chame como quiser...
Data de inscrição : 28/01/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por bzorio em Dom Abr 26, 2009 11:55 pm

Eu li o 1 hoje e guardei meu cérebro pro resto depois. geek
Valeu, Oblivion.

bzorio
Estátua full size 1/6

Número de Mensagens : 2412
Idade : 33
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 13/01/2009

http://www.estatuaslimitededition.com/nossas-colecoes-f4/colecao

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Pitanga em Seg Abr 27, 2009 8:35 am

Ótimo tópico, parabéns! Ler me fez relembrar dos jogos e dos personagens...rs..... :dance:

Pitanga
Mini-busto

Número de Mensagens : 613
Idade : 38
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 26/04/2009

http://garagekit.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Lucas140707 em Seg Abr 27, 2009 9:37 am

Li até o 3, vou terminar daqui a pouco, muito bom mesmo.

Vlw Oblivion.

Lucas140707
Mini-estátua

Número de Mensagens : 1680
Idade : 26
Localização : Porto Alegre - RS
Data de inscrição : 10/02/2009

http://agenciacon.com.br

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Welcome to Silent Hill

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 7:35 am


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum